Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

LC/Final: Adeptos do Real passam do sofrimento à euforia em minutos

Logótipo de LusaLusa 24/05/2014 Fábio Canceiro

Lisboa, 24 mai (Lusa) - Os adeptos do Real Madrid sofreram hoje muito antes de poderem finalmente festejar a conquista da 10.ª Taça dos Campeões Europeus de futebol, ao baterem na final, em Lisboa, o Atlético Madrid por 4-1, após prolongamento.

No Rossio, local onde ficaram instalados os adeptos do Real para poderem assistir através de um ecrã gigante a partida, os adeptos do Real MAdrid puderam finalmente festejar, depois de se encontrarem largo tempo a perder.

Desde os primeiros minutos da partida o entusiasmo dos adeptos dos "merengues" era evidente, até pela boa entrada na partida da sua equipa, no entanto, aos 36 minutos, o golo de Godin para o Atletico caiu como "um balde de água fria", mas, nem assim, os adeptos deixaram de puxar pela sua formação.

Ao intervalo, viam-se muitos rostos preocupados, mas também alguns mais otimistas.

"O golo deles foi sorte. Estamos a jogar melhor, no segundo tempo, o Ronaldo vai marcar dois", afirmou, convicto, Antonio Gallardo.

Durante a segunda parte, foram chegando à Praça dos Retau«rades vários adeptos portugueses para apoiar o Real Madrid, caso de João Rafael, adepto do Sporting.

"Não me esqueço do que eles fizeram ao Sporting, além disso, tenho de apoiar o Ronaldo", justificou.

O jogo aproximava-se do final com o Atlético a ganhar ao Real, perante o desespero dos adeptos "merengues".

"Vamos perder, já está", gritava um, já descrente.

No entanto, no último minuto de descontos, uma cabeçada de Sergio Ramos empatou o jogo e assistiu-se a uma verdadeira explosão de alegria dos adeptos presente no Rossio.

A explosão de alegria foi ainda maior já no decorrer do prolongamento, com mais três golos do Real, o último de Cristiano Ronaldo, na conversão de uma grande penalidade.

No final, a festa foi feita com foguetes e um autêntico banho de sangria.

ALBERTO MARTIN/EFE © @ EPA / ALBERTO MARTIN ALBERTO MARTIN/EFE

A aleria dos adeptos do Real contrastava com a tristeza estampada no rosto dos adversários.

"Estivemos quase a ganhar. Foi por minutos, mas os jogadores deram tudo e estão de parabéns", disse Mayte Arroyo, adepta "colchonera".

FYS // VR

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon