Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Lima: “Jorge Jesus sabe muito de futebol”

Sportinveste 13/05/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Lima: “Jorge Jesus sabe muito de futebol” © Sportinveste Multimédia Lima: “Jorge Jesus sabe muito de futebol”

Depois de conquistar a Liga e a Taça da Liga, a época do Benfica já tem de ser considerada extremamente positiva. Mas o clube não quer ficar por aqui e pode assinar um final de temporada histórico, com vitórias na Liga Europa e na Taça de Portugal.

O Benfica defronta, esta quarta-feira, o Sevilla na final da Liga Europa e, no próximo fim-de-semana, o Rio Ave no jogo decisivo da Taça de Portugal. E uma das grandes figuras de 2013/14 é, sem dúvida, o atacante brasileiro Lima, melhor marcador da equipa com 21 golos em todas as competições. O avançado falou com o site FIFA.com, elogiou o técnico Jorge Jesus e manifestou o desejo de ver o Brasil conquistar o Mundial.

- FIFA.com: O Benfica dominou o campeonato quase por completo. Qual o segredo do sucesso para uma campanha tão positiva, que valeu o título e , para já, o triunfo na Taça da Liga?
Lima: O segredo foi a humildade, coesão e qualidade deste grupo de trabalho. Neste clube, existe uma estrutura muito forte em redor da equipa de futebol, onde não falta nada para que possamos fazer o nosso trabalho da melhor maneira. Temos um grupo com grande qualidade, muito bem orientados pelo nosso treinador Jorge Jesus. E depois, é claro, graças ao apoio da torcida do Benfica que é fantástica. Em qualquer estádio jogamos como se estivéssemos em casa.

- Faltam disputar as finais da UEFA Europa League e da Taça de Portugal. É possível fazer o pleno de títulos?
Nós trabalhamos sempre a pensar num jogo de cada vez. Conquistámos o título e a Taça da Liga com todo o mérito e iremos tentar conquistar a Liga Europa e a Taça de Portugal. Mas sempre tendo em atenção que os nossos adversários (Sevilha e Rio Ave) também têm mérito por estar nas finais e também têm os mesmos objetivos. Vamos fazer como sempre: encarar os jogos com ambição e respeito pelos adversários.

- Não sendo a sua época mais proveitosa em termos de golos, muitos deles foram decisivos. Está satisfeito com o seu rendimento em 2013/14?
Estou particularmente satisfeito com o rendimento da equipa. É claro que os avançados vivem de golos, mas o mais importante são sempre as vitórias coletivas.

- E isso aos 30 anos. É agora, nessa segunda metade da carreira que as coisas vêm dando mais certo para você. Por quê?
É o culminar de um trabalho de aprendizagem e maturação. Nos últimos dois/três anos evolui muito e, felizmente, tenho demonstrado as minhas qualidades. No Benfica tenho aprendido muito com o treinador Jorge Jesus e com os meus colegas, como Cardozo, Rodrigo e Funes Mori, os restantes avançados do plantel.

- Qual o papel de Jorge Jesus nestes títulos e na gestão do plantel? Aprendeu muito com o técnico neste dois anos no Benfica?
Tem um papel determinante. É um treinador que sabe muito de futebol e todos os dias aprendemos com ele. Eu, pessoalmente, evolui muito nestes dois anos que trabalhamos juntos.

- Voltando ao passado, como foi gerir o final da temporada 2012/13, em que o Benfica perdeu o campeonato, a final da Taça de Portugal e a final da Liga Europa?
Nem vale a pena falar do passado. Neste momento, o que interessa é pensar no presente e no futuro.

- Mas a desilusão deu mais força à equipa para 2013/14?
Sabíamos do nosso valor e sempre acreditámos que era possível voltarmos a estar nas grandes decisões. E estamos!

- A um mês do início do Mundial, o que espera da competição no Brasil?
O melhor possível. O Brasil tem uma selecção de grande qualidade, joga em casa e torço para que tudo dê certo.

- Já joga há seis temporadas em Portugal. Gostaria de ver uma final entre Portugal e Brasil? Para quem torceria?
Olha, seria lindo ver uma final dessas. Aprendi a amar Portugal, que me acolheu muito bem, mas torceria pelo Brasil, o meu país.

- Para terminar, sagrou-se, finalmente, campeão português. Qual o sentimento de chegar ao primeiro título?
Indescritível. A festa com a nossa torcida foi linda, com 500 mil pessoas na rua a festejar no Marquês de Pombal. Vou guardar essa recordação para toda a vida.

AdChoices
AdChoices

Mais de Sportinveste

image beaconimage beaconimage beacon