Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Lindelof copia o ídolo Gerrard

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/04/2017 João Cardoso

Herói do Benfica em Alvalade tem ex-médio do Liverpool como exemplo desde os tempos do Vasteras

© Fornecido por O jogo

"Ninguém bate se não tiver capacidade ou só porque tem fé", sublinhou Rui Vitória sobre o golo de livre direto de Lindelof, que foi decisivo para o Benfica conquistar um ponto frente ao Sporting em Alvalade. De facto, não foi apenas "fé" que motivou o sueco a surpreender Rui Patrício aos 66". Um ídolo inglês em especial também serviu de inspiração. Médio de origem no começo de carreira, o agora central dos encarnados sempre teve Steven Gerrard como referência. "Sempre foi o grande ídolo do Vigge [alcunha de Lindelof na Suécia]. Era um modelo a ser seguido", revelou Robin Blommé, antigo companheiro de Lindelof no Vasteras, a O JOGO.

Reformado desde o fim do ano passado, tendo representado o LA Galaxy nas últimas duas épocas, Gerrard é um dos maiores nomes da história do Liverpool. Exímio cobrador de livres, marcou mais de 180 golos pela equipa inglesa, tendo conquistado ainda títulos de expressão, entre eles a Champions em 2004/05.

videoligahttp://www.vsports.pt/embd/36630/m/263058/ojogo/ce69bf54d30630e4b31b14da6196b77f?autostart=falseesquerda

Inspirar-se num dos maiores craques do futebol inglês ajuda, porém não basta para se arriscar em livres diretos, principalmente tendo como adversário o maior rival; é preciso prática e, acima de tudo, técnica. "Conquistámos um ponto importante. Feliz por ajudar a equipa com um golo. Obrigado a todos os adeptos que nos ajudaram em Alvalade", escreveu ontem no Instagram o camisola 14, que, sabe o nosso jornal, passou a treinar com maior regularidade a nova especialidade esta época, no Benfica e também na seleção sueca. Profissionais ligados ao treinador sueco Jan Andersson, aliás, não se mostraram surpreendidos com o feito de Lindelof, que recebe com frequência elogios pela qualidade no toque de bola. Antes, como revelou ontem o técnico Hélder Cristóvão, o sueco batia bolas paradas, mas porque "todos os jogadores [da equipa B] treinam livres".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon