Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Livraria californiana Comicazi vence Will Eisner Spirit of Comics Retailer Award

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/07/2017 Administrator

A livraria Comicazi, em Somerville, no Estado norte-americano de Massachussets, venceu o Will Eisner Spirit of Comics Retailer Award, para o qual estava nomeada a portuguesa Kingpin Books, foi anunciado em San Diego.

A livraria e editora portuguesa Kingpin Books, em Lisboa, especializada em Banda Desenhada (BD), estava entre os cinco finalistas, ao lado de The Comic Bug, em Manhattan Beach, no Estado norte-americano da Califórnia, da Illusive Comics and Games, em Santa Clara, também na Califórnia, da Space Cadets Collection Collection, em Oak Ridge North, no Texas, e da vencedora.

O júri do galardão foi constituído pelo ator John Hertzler, que participou em filmes como "Caminho das Estrelas", por Josh Geppi, presidente da Diamond International Galleries, Victoria Jamieson, desenhadora e autora de "Roller Girl" e "The Great Pet Escape", pelo vencedor do ano passado, Adam Sherif, proprietário da livraria Orbital Comicz, em Londres, por Bill Morrison, editor-chefe da revista MAD, e foi presidido por Joe Ferrara, proprietário da livraria Atlantis Fantasyworld, em Santa Cruz, na Califórnia, também já distinguida com um Will Eisner Spirit of Comics Retailer Award.

Em declarações à agência Lusa, na passada quarta-feira, Mário Miguel Freitas, fundador e proprietário da livraria portuguesa, considerava o facto de ser finalista "quase uma vitória".

"Quanto à escolha para os cinco finalistas, é quase uma vitória por si só, dado estarmos a competir com lojas com outra dimensão e que operam em mercados muitíssimo maiores, como são os casos do norte-americano e do francês", afirmou.

A livraria, na rua Quirino da Fonseca, à Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa, esteve entre as 19 nomeadas, e passou depois ao lote das cinco finalistas.

"Creio ser fundamental realçar a importância de uma loja portuguesa estar entre aquelas que os jurados deste ano consideraram ser as que mais fazem pela divulgação e promoção da BD enquanto arte. Isto é extremamente reconfortante e é um prémio enorme para o trabalho intenso e diversificado que temos feito ao longo dos anos", disse à Lusa Mário Miguel Freitas, que fundou a livraria há 18 anos.

Entre os 19 nomeados, os norte-americanos lideravam, com 14, com destaque para o Estado da Califórnia, que teve seis candidatos. Na Europa, além da livraria portuguesa, concorreram a Central Comics Paris, na capital francesa, e a Travelling Man, em York, no norte de Inglaterra, que não ficaram entre as finalistas. Da Austrália, estavam a Famous Faces and Funnies, em Melbourne, e a Comiczone, em Perth, e, de Israel, a Comikaza, em Telavive. Nenhuma foi finalista.

Desde o início da década de 1990, anualmente, a Comic-Con International distingue os livreiros de todo o mundo com o Prémio Will Eisner Spirit of Comics Retailer Award, imaginado por Will Eisner, criador do The Spirit.

Eisner, o criador de Spirit, pioneiro da chamada novela gráfica, autor de "Um Contrato com Deus", teve por objetivo, com este galardão, segundo texto publicado no 'site', chamar a atenção para o papel dos livreiros na indústria de Banda Desenhada e estimular o relacionamento entre criadores e seus leitores.

Para o livreiro português, "este tipo de acontecimento é sempre fundamental para despertar o interesse do público generalista e colocar a BD nas notícias, coisa que, infelizmente, raras vezes acontece".

"Arrisco mesmo a dizer que a BD deve ser a arte (e é a Nona Arte) mais menosprezada e menos falada em Portugal".

A editora portuguesa, segundo a mesma fonte, já editou nove livros este ano (seis em português e três em inglês), e conta editar mais nove (sete em Língua Portuguesa e dois em inglês), "sendo que um deles será um livro com tudo para atingir o tal público generalista, dado que terá como protagonista um dos nomes maiores da música portuguesa", disse Mário Miguel Freitas, sem desvendar a personagem histórica.

Questionado sobre o volume de negócios, afirmou: "Em crescendo, de forma ininterrupta, de há três anos para cá".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon