Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Luís Fabiano: "Ser ídolo como Romário é difícil, vou dar o máximo"

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/02/2017 Pedro Rocha

Aos 36 anos, o antigo avançado do FC Porto assinou pelo Vasco da Gama e garante não ter desaprendido de fazer golos

© Fornecido por O jogo

De volta ao Brasil, depois de uma breve experiência no futebol chinês, ao serviço do Tianjin Quanjian, Luís Fabiano foi apresentado pelo Vasco da Gama em ambiente festivo e até foi alvo de comparações com Romário. O antigo avançado do FC Porto agradeceu a distinção, prometendo somente total dedicação ao clube carioca. "Ser ídolo igual ao Romário é difícil, mas vou dar o meu máximo, tentar dar alegria. Sempre dei sorte contra time carioca. Fiz 12 contra o Vasco, mas também fiz oito contra o Flamengo, oito contra o Fluminense e sete contra o Botafogo. Chega de sofrer. Agora é só alegria", afirmou o jogador de 36 anos, que ainda não vislumbra o final da carreira. "Vejo vários jogadores com mais de 35... até 40. Quando o jogador sabe, sabe com 28 ou 40, como foi o Romário. Golo eu não desaprendi a fazer. Em forma ainda tenho muito a acrescentar. Posso ajudar o Thalles também, que tem potencial", referiu.

Sobre a passagem pela China, o Fabuloso considerou-a "atípica". "Ficar esperando por negociação... O clube tinha-me comunicado que não deveria contar comigo porque buscaria outros estrangeiros. Achei que ia rescindir e voltar ao Brasil. Se arrastou. Achei que teria que ficar, que seria reintegrado. Tinha uma pessoa que não queria que eu ficasse, mas outras queriam que eu ficasse. Foi um período complicado", contou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon