Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Macau/ Tufão: Parte da população sem rádio e televisão públicas

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/08/2017 Administrator

Parte da população de Macau tem estado, durante o dia de hoje, sem acesso ou com acesso intermitente aos canais públicos de televisão e rádio, devido à passagem do tufão Hato, o mais forte desde há 18 anos.

A Teledifusão de Macau (TDM) é a principal aliada da Proteção Civil, que comunica com a população através dos canais de rádio e televisão públicos, enviando alertas sobre a intensidade do tufão, circulação de transportes, dados sobre feridos e mortos, zonas perigosas, além de informações sobre o encerramento dos serviços públicos e escolas.

A TDM não sabe quantas pessoas não conseguem aceder aos seus boletins informativos, mas vários residentes de Macau confirmaram as dificuldades.

O administrador da TDM, Frederico do Rosário, explicou à Lusa que os problemas tiveram duas origens diferentes: primeiro, ainda de manhã, quebrou-se a torre que sustenta as antenas de rádio, e depois, pelas 12:24 (05:24 em Lisboa), a cidade foi afetada por um corte generalizado da energia. Entretanto, a eletricidade foi sendo gradualmente reposta, mas parte da cidade encontra-se ainda às escuras.

Com exceção do momento imediato após o "apagão", a televisão conseguiu manter a sua emissão, no entanto, verificam-se problemas ao nível da distribuição feita pela empresa Canais Básicos de Televisão de Macau e TV Cabo.

"A distribuição está a ser afetada pela falta de eletricidade que ainda não está 100% restabelecida. Pontos intermédios que ainda não tenham eletricidade podem ser a causa da falta de sinal de TV em certas zonas da cidade", disse Frederico do Rosário.

Os serviços de rádio e televisão da TDM fazem boletins especiais relativos ao tufão de hora a hora. No que toca à televisão, o responsável disse que a falha "não é generalizada", apesar de não saber indicar a dimensão dos afetados.

Também na rádio, o administrador da TDM diz ser "quase impossível saber" quantas pessoas não têm acesso à emissão.

"Quando caiu a antena FM (ao final da manhã), o sinal do canal em português falhou. O (canal) chinês não falhou, mas reduziu a potência. A rádio em português funciona com condições precárias, nem toda a Macau consegue ouvir", disse.

Gilberto Lopes, chefe do canal português da rádio Macau, explicou à Lusa que durante o dia registaram-se dois cortes.

Quando caiu a antena a rádio ficou sem "emissão tradicional", mas podia ser ouvida através da Internet.

A este corte seguiu-se outro total por causa do corte energético.

Pelas 17:30 (10:30 em Lisboa) a emissão foi reposta nas duas plataformas, apesar do sinal fraco.

Os três jornais diários em língua portuguesa -- Jornal Tribuna de Macau, Ponto final e Hoje Macau -- não vão ser publicados quinta-feira devido ao tufão.

O tufão Hato foi o mais forte desde 1999, tendo sido içado o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo numa escala que inclui 1, 3, 8, e 9.

Pelo menos cinco pessoas morreram e 153 ficaram feridas, a maioria sem gravidade.

Pelas 21:30 (14:30 em Lisboa), todos os sinais de tempestade tinham sido retirados.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon