Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Macau/Tufão: Pelo menos três operadoras de jogo de Macau doam um total de 12,6 ME à cidade

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/08/2017 Administrator

Pelo menos três operadoras de jogo de Macau -- MGM, Galaxy e Melco -- anunciaram doações equivalentes a 12,6 milhões de euros, para ajudar nos trabalhos de recuperação e apoio à população, após o devastador tufão Hato.

O universo da Galaxy Entertainment anunciou uma doação de 60 milhões de dólares de Hong Kong (6,43 milhões de euros), "incluindo 30 milhões [de dólares de Hong Kong] da Fundação do Galaxy Entertainment Group, mais uma equivalente contribuição de 30 milhões da família Lui, para apoiar os trabalhos de auxílio às pessoas de Macau", de acordo com um comunicado enviado hoje pelo presidente da Galaxy, Lui Che Woo.

"Na quarta-feira (...) o tufão Hato, o mais poderoso e destrutivo tufão em mais de meio século, desceu rapidamente sobre Macau e causou amplos danos e significativas dificuldades aos seus cidadãos", indica o comunicado, que refere que as instalações da Galaxy ficaram danificadas, mas "apenas ferimentos menores foram relatados".

"Quero expressar as minhas sinceras condolências às famílias e amigos das pessoas que morreram e aos cidadãos que sofreram ferimentos em resultado da devastadora destruição trazida por dois tufões", diz ainda Lui.

Por seu lado, a Melco Entertainment anunciou que criou um fundo de 30 milhões de patacas (3,12 milhões de euros) para apoiar "os funcionários, a comunidade e os trabalhos de recuperação no rescaldo do tufão Hato em Macau".

A empresa suspendeu a construção do seu novo hotel Morpheus, de modo a poder desviar dois mil trabalhadores para as tarefas de recuperação da cidade durante este fim de semana.

Uma equipa de 2.500 voluntários da Melco e trabalhadores da construção foi também formada para ajudar a limpar destroços, distribuir garrafas de água e apoiar com necessidades urgentes da população, segundo a empresa.

"Este é o pior tufão que Macau viu em mais de meio século. A Melco e eu, pessoalmente, estamos 100% comprometidos em partilhar os nossos recursos coletivos para ajudar a cidade e as suas gentes a conseguir uma rápida e total recuperação da ordem", indicou o presidente executivo da Melco, Lawrence Ho.

A MGM anunciou valor semelhante, 30 milhões de patacas. A forma como o dinheiro será distribuído "será decidida nos próximos dias e meses, com a orientação do Governo de Macau", com as necessidades dos funcionários da operadora e das suas famílias a serem "consideradas e incluídas na alocação de fundos".

"As minhas condolências às pessoas de Macau, em nome de toda a família MGM. A nossa empresa experienciou e ultrapassou desafios semelhantes no passado e comprometo-me a disponibilizar todos os recursos da família MGM para uma recuperação total. Pela nossa experiência vai levar tempo, mas a MGM vai estar ao pé do Governo e das pessoas de Macau", sublinhou o presidente da norte-americana MGM Resorts International, da qual a MGM China é subsidiária, Jim Murren.

Macau foi atingida, na quarta-feira, pelo tufão Hato, que causou dez mortos e mais de 200 feridos, deixando um rasto de destruição. Um segundo tufão, o Pakhar, menos intenso, fez-se hoje sentir na cidade.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon