Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Macron promete revisão estratégica das forças militares francesas e um novo vigor diplomático

Logótipo de O Jogo O Jogo 03/07/2017 Administrator

O Presidente francês, Emmanuel Macron, prometeu hoje uma revisão estratégica das forças militares daquele país para responder às ameaças em evolução, bem como anunciou um revigoramento da diplomacia francesa.

O chefe de Estado francês falava diante dos membros das duas câmaras do parlamento reunidos numa sessão extraordinária no Palácio de Versalhes.

No discurso, Macron afirmou que vai manter as intervenções militares francesas destacadas no estrangeiro para combater o extremismo, mas também insistiu na importância de manter "um caminho de negociação, de diálogo" para soluções a longo prazo.

"As ameaças nunca foram tão grandes", frisou o Presidente francês, salientando que os países devem cooperar mais do que nunca.

Este discurso acontece um dia depois de Macron ter participado na capital do Mali, Bamako, numa cimeira com países africanos envolvidos no combate contra os 'jihadistas'.

No domingo, Macron prometeu ajudar a força conjunta de cinco países do Sahel (G5) -- Mali, Níger, Burkina Faso, Mauritânia e Chade -- a obter financiamento, mas pediu-lhes eficácia no combate contra os extremistas.

"Cabe-vos e aos vossos exércitos convencer que o G5 pode ser eficaz, respeitando as convenções humanitárias. Os resultados devem estar na ordem do dia para convencer os nossos aliados", disse Macron, no domingo, na abertura da Cimeira do G5 Sahel.

Falando perante os homólogos do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, do Chade, Idriss Déby Itno, da Mauritânia, Mohamed Ould Abdelaziz, do Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, e do Níger, Mahamadou Issoufou, o Presidente francês saudou "uma dinâmica e um movimento de fundo que França tem orgulho de acompanhar".

A força do G5, integrada por 5.000 militares dos cinco países, vai juntar-se à operação francesa Barkhane e à missão da ONU no Mali (Minusma) no combate aos 'jihadistas' no Sahel.

A União Europeia (UE) prometeu um financiamento de 50 milhões de euros.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon