Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mais de duas mil pessoas recorreram à eutanásia depois de legalizada no Canadá

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/10/2017 Administrator

Mais de duas mil pessoas com doenças incuráveis recorreram à ajuda médica para morrer no ano seguinte à legalização desta possibilidade no Canadá, segundo um relatório publicado na sexta-feira.

Entre a legalização desta possibilidade, em junho de 2016, e 30 de junho de 2017, houve 1.982 pessoas que recorreram à ajuda médica para morrer, segundo o Ministério da Saúde canadiano.

A grande maioria destas pessoas sofria de cancro.

No primeiro semestre deste ano, este recurso foi usado por 1.179 pessoas, o que "representa cerca de 0,9% do total de mortes à escala nacional".

O Quebeque já autorizava esta ajuda médica para morrer desde dezembro de 2015, tendo sido usada por cerca de 200 pessoas antes da adoção da lei federal.

O recurso à ajuda médica para morrer está reservado aos adultos atingidos por "um problema de saúde grave e irremediável" e consiste em uma injeção letal, dada pelo pessoal médico, ou na ingestão de comprimidos que provocam a morte do paciente, no hospital ou em casa.

Depois da divulgação do relatório, a ministra da Saúde, Ginette Petitpas Taylor, saudou a colaboração das províncias na coleta de informação, admitindo que se trata de uma "questão complexa e sensível".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon