Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mais de meia tonelada de peixes mortos no rio Ceira, em Coimbra

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/09/2017 Administrator

Mais de meia tonelada de peixes mortos foram retirados hoje do rio Ceira, informou a Câmara Municipal de Coimbra, que apelou à EDP "a abertura urgente" das comportas da barragem do Alto Ceira.

O Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR de Coimbra deslocou-se à zona do Cabouco, Coimbra, na terça-feira, tendo constatado "uma grande quantidade de peixes mortos" no rio Ceira, disse à agência Lusa fonte do comando territorial da GNR, referindo que a causa da morte dos peixes poderá estar relacionada com as cinzas provocadas pelo incêndio que lavrou na zona e que terão escorrido para o rio após a forte chuva de segunda-feira.

Durante o dia de hoje, elementos da Câmara Municipal de Coimbra (bombeiros sapadores e funcionários da divisão do ambiente) recolheram 520 quilos de peixe morto, que foram colocados em aterro. O "pessoal envolvido foi ainda forçado a utilizar máscaras devido ao cheiro nauseabundo", afirmou a autarquia em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Na mesma nota, o município disse que, através do Serviço Municipal de Proteção Civil, apelou à EDP para abrir com caráter de urgência as comportas da barragem do Alto Ceira.

"A descarga em contínuo de caudal possível não só seria benéfica ao nível da renovação da água, contribuindo para eliminar os agentes que estão a provocar a morte dos peixes e salvando a vida dos espécimes que possam estar em risco, como contribuiria para arrastar para jusante os que agora se encontram, em putrefação, a boiar no rio", realça a Câmara Municipal de Coimbra.

Para a autarquia, a situação verificada no rio Ceira trata-se de "um verdadeiro problema ambiental e de saúde pública junto às povoações ribeirinhas com possíveis graves consequências ao nível da captação e da distribuição de água para consumo humano".

De acordo com o município, já foram alertadas a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a GNR/SEPNA, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a delegação de saúde de Coimbra.

Foram pedidas análises à qualidade da água "para garantia das suas características e, consequentemente, de fornecimento e da saúde dos cidadãos, além da determinação dos fatores que originaram esta situação", acrescentou o município, na mesma nota de imprensa.

A Câmara Municipal de Coimbra afirmou ainda que a recolha dos peixes mortos vai continuar no sábado, em Cabouco, Boiça e Tapada.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon