Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Merkel diz que milhões de pessoas esperam que o G20 resolva problemas do mundo

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

Hamburgo, Alemanha 07 jul (Lusa) - A chanceler alemã, Angela Merkel, disse hoje aos líderes das restantes nações do G20 (economias mais desenvolvidas e economias emergentes) que milhões de pessoas estão à espera que este grupo resolva os problemas do mundo.

Merkel mostrou-se confiante em que cada um dos líderes à volta da mesa vai fazer um esforço para atingir "bons resultados".

No entanto, a chefe do governo da Alemanha (a maior economia europeia e uma das sete maiores do mundo) acrescentou que "apenas se podem conseguir soluções se [os líderes do G20] estiverem disponíveis para ceder" nas suas pretensões.

Por isso mesmo, Merkel disse que os líderes à mesa devem especificar aquilo que os divide.

A chanceler alemã falava no início de um almoço de trabalho no qual os líderes do G-20 vão discutir o crescimento global e o comércio.

A Cimeira do G20, que reúne em Hamburgo os líderes das principais economias do mundo e as potências emergentes, começou hoje centrada no terrorismo internacional, ao mesmo tempo que se registavam novos incidentes nas ruas da cidade alemã.

Merkel, anfitriã da reunião, recebeu os convidados no pavilhão de feiras internacional da cidade que alberga o segundo maior porto da Europa, rodeada por um forte dispositivo policial visando garantir a segurança das diferentes delegações.

Após uma primeira reunião para analisar o combate ao terrorismo internacional, os participantes vão discutir temas onde à falta de consenso com os Estados Unidos, como o livre comércio e a luta contra as alterações climáticas.

Antes do início da cimeira, a polícia de Hamburgo voltou hoje a recorrer a canhões de água para dispersar manifestantes que querem bloquear os acessos ao local da reunião, depois de distúrbios que resultaram em 111 agentes feridos e 44 detidos.

A polícia divulgou um comunicado com a contagem mais recente dos incidentes durante a noite, protagonizados por jovens encapuzados que tomaram o controlo de uma manifestação convocada na tarde de quinta-feira sob o lema "bem-vindos ao inferno".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon