Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Messi promete levar Argentina ao Mundial

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/06/2017 Ireneu Ribeiro

O capitão mostra-se empenhado em retirar a seleção albi-celeste do atual 5º posto em que se encontra na "poule" da América do Sul

Lionel Messi, capitão da seleção argentina de futebol, prometeu, esta quinta-feira, que vai continuar a lutar para qualificar a formação sul-americana para o Mundial da Rússia, que começa dentro de um ano.

"Faltam 365 dias para a Rússia. Vamos continuar a lutar pelo sonho", escreveu Messi na sua página na rede social Facebook, numa frase acompanhada por uma foto sua a festejar um golo ao serviço da seleção campeã mundial de 1978 e 1986.

Após 14 das 18 jornadas da zona sul-americana de qualificação, a Argentina segue, com 22 pontos, no quinto lugar, que vale um lugar num 'play-off' intercontinental face ao vencedor da Oceânia -- Nova Zelândia ou Ilhas Salomão.

O Brasil lidera a 'poule', com 33 pontos, e já está apurado para a fase final, enquanto Colômbia (segunda, com 24 pontos), Uruguai (terceiro, com 23) e Chile (quarto, com 23) estão nos restantes lugares de apuramento direto.

Nas últimas quatro rondas, a Argentina desloca-se ao Uruguai (30 de agosto), recebe a Venezuela (4 de setembro) e o Peru (4 de outubro) e fecha no Equador (9 de outubro).

Devido a lesões e castigos, Messi apenas participou em seis jogos da qualificação e a Argentina somou cinco vitórias - perdeu apenas no Brasil -, mas, sem o capitão, os 'albi-celestes' apenas ganharam um de oito encontros.

Depois da receção ao Chile (1-0, a 23 de março, com um tento do capitão), o camisola 10 foi suspenso por quatro jogos, por insultos a um árbitro assistente - que nem os ouviu - e, por isso, já falhou o jogo na Bolívia (derrota por 2-0).

© EPA/JOE CASTRO

Mas, entretanto, a FIFA já revogou o castigo, pelo que o futebolista do Barcelona, para muitos considerado o melhor jogador do Mundo, ficou libertado para disputar os decisivos derradeiros quatro encontros da Argentina.

Na parte final da qualificação, a seleção 'albi-celeste' vai ser orientada por Jorge Sampaoli, que substituiu Edgardo Bauza e já orientou os particulares com Brasil (1-0) e Singapura (6-0).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon