Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Migrações: Tunísia diz que pressão militar nas águas líbias desvia fluxos para oeste

Logótipo de O Jogo O Jogo 10/10/2017 Administrator

A pressão militar nas águas líbias está a desviar os fluxos migratórios para oeste, segundo um documento do Fórum Tunisino para os Direitos Económicos e Sociais, divulgado na segunda-feira.

Por outro lado, o Ministério da Defesa tunisino informou na segunda-feira, em comunicado, que pelo menos oito migrantes indocumentados morreram em resultado do choque de um navio-patrulha da Marinha tunisina com a embarcação precária em que navegavam, a 54 quilómetros das ilhas Kerkena, no sul da Tunísia.

Se bem que no texto não se especifique quantos migrantes viajavam na embarcação, a tripulação do navio-patrulha resgatou 48 pessoas de nacionalidade tunisina que caíram no mar.

Segundo o relatório, as forças tunisinas impediram, entre janeiro e setembro, que 1.652 se aventurassem no mar em direção à Europa, das quais 1.384 de nacionalidade tunisina.

Daquelas, 1.040 foram detidas em agosto e setembro.

"O número de pessoas detidas não é mais do que um pálido reflexo do número que conseguiu fazer a trajetória até Itália", salientou-se no texto.

Dados da Organização Internacional para as Migrações corroboram esta tendência, já que o número de tunisinos chegados por mar de maneira irregular a Itália foi de 2.700 pessoas entre janeiro e setembro, dos quais 1.400 chegaram em setembro.

"Isto revela uma explosão da migração comparando com os dois últimos anos", em que se registaram 880 e 1.200 respetivamente, apontou-se no documento, onde também se realçaram outras mudanças, como o aumento do uso de lanchas rápidas e a ligação com "o crescimento das reivindicações sociais em todas as regiões do país", devido á degradação da economia.

A instabilidade política, o desemprego e a desconfiança sobre o futuro do país, acrescidos da descida da participação na vida política e social e do abandono social são outros indícios, ainda segundo o mesmo documento.

Um outro indicador mencionado para explicar a disposição dos jovens tunisinos para a emigração ilegal é "o fenómeno do abandono escolar e as suas causas".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon