Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Miguel Leal e o Benfica: "Estou preocupado é que o Boavista ganhe"

Logótipo de O Jogo O Jogo 03/04/2017 Hugo Monteiro

O treinador do Boavista demarcou-se das contas do título, independentemente dos pontos do jogo com os encarnados puderem ser decisivos para a festa do "tetra", na última jornada

. © Fornecido por O jogo .

O Benfica encerra o campeonato no Bessa, mas Miguel Leal, treinador do Boavista, não mostra preocupado se os três pontos forem decisivos para a conquista do título. "Para já, nós só nos preocupamos jogo a jogo. Não sei se é isso que irá acontecer. Portanto, eu costumo dizer que não sofro por antecipação e não estou muito preocupado com essa luta pelo título. Eu estou preocupado é que o Boavista ganhe. E, por isso, tenho é de me concentrar em preparar o Boavista para ganhar e jogar bem. Nós estamos numa fase em que, de facto, do ponto de vista do que era o objetivo principal do clube, já foi atingido, com qualidade, com tranquilidade. Mas, agora, temos é que continuar a valorizar o nosso trabalho e valorizar ainda mais os nossos jogadores e até, 'quiçá', dar oportunidade a outros", sublinhou Miguel Leal, à margem do IV Fórum de Treinadores de Futebol/Futsal, que decorre em Gondomar, sob a égide da Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF).

Na primeira volta, recorde-se, o Boavista chegou a estar a vencer por 3-0 na Luz, antes de conceder o empate a três golos. "Fizemos grandes jogos sempre contra as grandes equipas. Os meus jogadores enquadram-se bem com esse tipo de jogo, porque é um tipo de jogo mais aberto, mais disputado em todo o campo e tem a ver com as nossas características e com o nosso padrão de jogo. E por isso é que são sempre jogos renhidos. É verdade que na Luz tivemos um resultado mais positivo mas, por exemplo, com o FC Porto, em casa, jogámos muito bem e com o Sporting também e perdemos. Mas mais importante é nós discutirmos os jogos de igual para igual, sabendo que as nossas armas não são iguais", sublinhou ainda.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon