Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Miguel Pereira Leite eleito presidente da Assembleia Municipal do Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/10/2017 Administrator

Miguel Leite Pereira, do movimento independente de Rui Moreira, foi hoje reeleito presidente da Assembleia Municipal (AM) do Porto com 28 votos a favor, ao passo que Luís Braga da Cruz, indicado pelo PS, recebeu 18 votos.

Rui Moreira, que alcançou maioria absoluta na Câmara do Porto nas autárquicas de 01 de outubro, não teve o mesmo resultado para a Assembleia Municipal, ficando com 21 representantes, face a 25 de todas as outras forças políticas, mas o cabeça-de-lista do PSD àquele órgão, Pedro Duarte, anunciou na terça-feira que os seis deputados sociais-democratas decidiram "por consenso e unanimidade" votar "favoravelmente" a candidatura de Pereira Leite.

Maria Paula Bonifácio Ribeiro de Faria foi eleita primeira secretária da mesa com 27 votos, exatamente a mesma votação teve o segundo secretário da mesa da AM, José Serôdio, ambos indicados pela candidatura "Rui Moreira -- Porto, O Nosso Partido", encabeçada pelo presidente da autarquia portuense.

Contabilizando os presidentes das sete Juntas de Freguesia da cidade (Campanhã manteve-se presidida pelo PS e Paranhos pelo PSD), a AM do Porto saída das autárquicas de 01 de outubro é formada por 21 representantes pelo movimento independente e 25 eleitos das restantes forças políticas, designadamente 12 do PS, seis do PSD, três da CDU, três do BE e um do PAN.

No anterior mandato, Pereira Leite foi presidente da AM do Porto desde janeiro de 2014, depois da renúncia de Daniel Bessa, cabeça-de-lista dos independentes para a AM nas autárquicas de 2013.

Na cerimónia de hoje, tomaram posse na AM, pelo movimento de Rui Moreira, Miguel Pereira Leite, André Noronha, Paula Ribeiro de Faria, Miguel Gomes, César Vasconcellos Navio, Isabel Ponce de Leão, Pedro Baptista, Raúl de Almeida, Maria Adelina Barbosa, Manuel Maio, José Serôdio, Carla Maria Leitão, Diogo Meireles, António David Ribeiro, Maria José Lacerda e Eduardo Carqueja.

Também eleitos pelo independente, tomaram posse os presidentes das juntas do Bonfim, de Aldoar, Foz e Nevogilde, de Ramalde, da União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória e de Lordelo do Ouro e Massarelos: José Manuel Carvalho, Nuno Ortigão, António Gouveia, António Fonseca e Sofia Maia, respetivamente, todos com assento na AM.

Na bancada do PS, tomaram posse Luís Braga da Cruz, Tiago Barbosa Ribeiro, Maria José Espinheira, Gustavo Pimenta, Rodrigo Oliveira, Patrícia Faro, Pedro Braga de Carvalho, Rui Lage, Cláudia Santos, Alfredo Fontinha e Serafim Nunes, para além de Ernesto Santos, presidente da junta de freguesia de Campanhã.

Quanto ao PSD, elegeu para a AM Pedro Duarte, Alberto Lima, Mariana Macedo, Luís Osório e Francisco Carrapatoso, bem como Alberto Machado, presidente da junta de freguesia de Paranhos pelo PSD.

A CDU, que no anterior mandato tinha quatro deputados, elegeu apenas três, tendo tomado hoje posse Rui Sá, Belmiro Magalhães e Sara Santos.

O BE, que teve dois deputados eleitos para a AM do Porto em 2013, elegeu agora três, tendo hoje sido empossados João Semedo, Bárbara Veiga e Joel Oliveira.

O cabeça-de-lista do PSD à AM, Pedro Duarte, explicou na terça-feira que os eleitos sociais-democratas decidiram votar favoravelmente a candidatura de Miguel Pereira Leite como "um sinal de respeito pelo voto popular" porque "foi o candidato mais votado".

Pedro Duarte negou que a decisão seja resultado de um acordo entre PSD e o movimento independente, explicando tratar-se de "uma posição de princípio".

O PS revelou na terça-feira a intenção de propor Luís Braga da Cruz para presidente da AM do Porto alegando sentido de "responsabilidade", pois "um cenário de maioria absoluta [de Moreira] na Câmara aumenta a importância de reforçar o papel fiscalizador e moderador da AM", explicou à Lusa Manuel Pizarro, presidente da Federação Distrital do PS/Porto e vereador do PS na autarquia.

"Não se trata de obstaculizar a ação do executivo. Pelo contrário. Trata-se de garantir que essa ação exprime o pluralismo das visões existentes na cidade", frisou Pizarro.

O movimento independente de Rui Moreira foi reeleito para um segundo mandato na Câmara do Porto com maioria absoluta: elegeu sete vereadores, contra quatro do PS, um do PSD/PPM e um da CDU.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon