Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ministra esclarece que erros antigos são em manuais editados em Cabo Verde

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/10/2017 Administrator

A ministra da Educação cabo-verdiana, Maritza Rosaball, esclareceu hoje que os erros detetados em manuais antigos foram de livros editados em Cabo Verde e reafirmou que os novos de matemática do 1.º ciclo não serão retirados do mercado.

"Essas erratas são de materiais publicados aqui, porque vão diretamente dos autores para as gráficas. Temos um défice no processo editorial. Há outras editoras que fazem impressões e publicações para outros materiais de outros anos de escolaridade", disse a ministra.

As declarações da ministra da Educação à Rádio de Cabo Verde (RCV) surgem na sequência de a Porto Editora, responsável pela edição de nove livros usados em escolas cabo-verdianas, ter assegurado à agência Lusa que nunca foram apontados erros aos materiais que produziu.

E também na sequência da polémica com os novos manuais de matemática do 1.º ciclo, nos quais foram detetados vários erros, tendo o Ministério da Educação adiantado estar a fazer o levantamento dos erros detetados em anteriores e ainda em vigor nas escolas cabo-verdianas.

Segundo dados da Direção Nacional de Educação, até ao momento foram identificadas 266 erros e sugestões de correção em livros de várias disciplinas do 2.º ao 6.º anos, sendo que a maioria é nos manuais de língua portuguesa.

Na mesma entrevista à rádio pública cabo-verdiana, Maritza Rosaball reafirmou que, apesar dos erros, os novos manuais de matemática, editados por uma empresa da Suécia, não serão retirados do mercado, visto tratarem-se de materiais experimentais e de impressão provisória.

"Não existe nenhuma razão plausível para nós retirarmos os livros do mercado porque são materiais experimentais, aos quais vão ser introduzidas todas as modificações e haverá nova impressão no próximo ano letivo", garantiu.

A ministra informou que o processo de correção já está praticamente terminado e que os livros e as respetivas erradas estarão no mercado na próxima semana.

A governante garantiu também que ninguém vai ser responsabilizado pelos erros nos manuais em que a atual diretora Nacional de Educação, Adriana Mendonça, é a coordenadora geral e participou na revisão linguística.

"Adriana Mendoça mantém-se no cargo. Ela tem coordenado todo este processo", assegurou Maritza Rosaball, indicando que a atual diretora de Educação tem coordenado mais 12 novos materiais.

A polémica em torno dos erros em manuais escolares em Cabo Verde, e a sua não retirada do mercado, deixou pais, professores e especialistas em educação indignados e está agendada para sexta-feira uma manifestação para tentar convencer o Governo a rever a sua posição.

E decorre uma petição pública pela retirada dos manuais, que reunia esta manhã mais das 2.200 assinaturas estabelecidas como meta pelos promotores, que depois as vão entregar aos deputados.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon