Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Moniz Pereira acha que o atletismo é "desprezado"

Sportinveste 23/04/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Organização prevê ter 12 mil pessoas na Color Run de Coimbra © Sportinveste Multimédia Organização prevê ter 12 mil pessoas na Color Run de Coimbra

Mário Moniz Pereira criticou hoje o atual estado do atletismo português, durante uma homenagem na Escola Secundária de Vizela, a propósito da comemoração dos 40 anos do 25 de Abril. "O atletismo em Portugal, neste momento, está completamente desprezado. Voltámos a ter atletas jovens com futuro garantido, e ninguém trata deles como deve ser", lamentou.

O antigo atleta, treinador e selecionador português recuou também no tempo e recordou pontos altos da carreira, como a conquista de medalhas olímpicas e de títulos europeus pelo Sporting. Considerando-se "uma pessoa diferente de todas as outras", Mário Moniz Pereira garantiu que a "teimosia" contra aqueles que afirmavam que Portugal nunca poderia vir a ganhar medalhas nos Jogos Olímpicos lhe deu a perseverança necessária para potenciar os atletas que treinava. "Diziam-me que Portugal não podia ter ninguém que ganhasse medalhas nos Jogos Olímpicos, mas eu já tinha começado a treinar os tais atletas que iriam ter medalhas", disse. 39 anos depois de ter começado a treinar, o antigo selecionador nacional viu Portugal conquistar a primeira medalha de ouro nuns Jogos Olímpicos, por Carlos Lopes, na maratona de Los Angeles, em 1984, feito que o deixou "muito satisfeito".

"Houve um dia em que apareceu um atleta que conseguiu ganhar as suas provas e conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Demorou 39 anos, mas eu consegui", confessou. Para Moniz Pereira, a primeira medalha de ouro nuns Jogos Olímpicos "foi realmente explicativa de que os portugueses são tão bons ou tão maus como os outros".

O antigo técnico realçou o contributo que o Sporting deu para o desenvolvimento do atletismo português, nomeadamente através da colocação da pista no Estádio José Alvalade, que lhe permitiu implementar dois treinos por dia. "Treinávamos às 9:00 e às 18:00. Foi assim que conseguimos uma equipa de categoria. A questão, muitas vezes, não é saber fazer, mas onde fazer", afirmou. Para Moniz Pereira, a pista de atletismo desempenhou um papel muito importante nas "16 vezes que o Sporting ganhou o campeonato da Europa". O antigo selecionador culpa quem decidiu remover a pista pela ausência de resultados do mesmo nível.

O antigo treinador mostrou-se ainda desiludido com a pouca atenção dada às modalidades, em detrimento do foco quase exclusivo no futebol, e com a falta de desportivismo atual. "Há uma coisa que me choca profundamente, que é a falta de desportivismo. O Benfica ligou-me uma vez a perguntar se podia ser árbitro dos jogos de voleibol deles. Eles tinham plena confiança em mim", revelou o também antigo voleibolista, que se sagrou campeão ao serviço do Sporting, em 1953/1954 e em 1955/1956.

Fonte: O Jogo

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon