Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mudança de marca do banco Montepio tem de ser feita "com cuidado" - presidente

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/10/2017 Administrator

O presidente da Caixa Económica Montepio disse hoje que está em curso o processo de mudança da marca do banco para não ser confundida com a da Associação Mutualista, acrescentando que decorre "com cuidado" para não prejudicar uma marca enraizada.

Na conferência de imprensa em Lisboa de apresentação dos resultados do banco até setembro (período em que teve lucros de 20,4 milhões de euros), Félix Morgado afirmou que nunca esteve em cima da mesa a mudança de nome da instituição, mas a "mudança de marca", com o "objetivo que o mercado perceba que a Associação Mutualista é uma entidade e a Caixa Económica outra".

"A marca tem valor e é muito importante, tem de ser tratada com cuidado, porque faz parte do valor da instituição e da instituição no mercado", disse.

O responsável referiu que já estão a ser feitas algumas mudanças e que outras estão a ser identificadas para serem feitas, mas não deu muitos detalhes sobre o assunto.

Para já, explicou, o objetivo é deixar explícito quais são os produtos financeiros da Associação Mutualista e da Caixa Económica Montepio Geral e nos balcões remodelados do Montepio está a ser criado "o posto de atendimento mutualista", responsável por vender aplicações financeiras da Associação Mutualista.

Questionado sobre se poderá chegar-se ao ponto em que os trabalhadores da Caixa Económica não sugerem sequer produtos da Associação Mutualista, Félix Morgado declinou, recordando que o 'cross-selling' (venda de produtos complementares) é comum na atividade bancária.

"Todos os bancos fazem 'cross-selling', vendemos seguros, de saúde e de habitação, e produtos mutualistas", afirmou.

Nos últimos anos, a crise que viveu o grupo Montepio fez os reguladores e supervisores aumentarem a atenção sobre os produtos vendidos, já que uma entidade é a Associação Mutualista Montepio Geral e outra a Caixa Económica Montepio Geral (o banco), com produtos diferentes e também proteções diferentes em caso de dificuldades das instituições.

A Caixa Económica comercializa os seus produtos e serviços financeiros, mas também serve de intermediário para venda de produtos de poupança da Associação Mutualista destinados aos associados desta. No caso dos produtos mutualistas, estes não são depósitos, não estando salvaguardados em parte pelo Fundo de Garantia de Depósitos.

A Caixa Económica Montepio Geral apresentou hoje lucros de 20,4 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com os prejuízos de 67,5 milhões de euros do mesmo período de 2016.

Nos primeiros nove meses do ano, o banco que pertence ao grupo Montepio conseguiu um produto bancário 380 milhões de euros, mais 54% do que no mesmo período de 2016, com a margem financeira a subir 13,4% para 202,1 milhões de euros.

A contribuir para os resultados esteve ainda o corte dos custos operacionais, que desceram 17,6% para 206,8 milhões de euros, com os custos com pessoal a baixarem 24% para 126,6 milhões de euros.

"Rentabilidade positiva, melhoria significativa em termos de resultado e chamo a atenção que este é terceiro trimestre consecutivo em que Caixa Económica tem resultados positivos, de acordo com o plano estratégico apresentado em 2015", afirmou Félix Morgado.

Félix Morgado disse também hoje que estão ultrapassadas quaisquer dúvidas sobre o Montepio, considerando que os seus resultados e os rácios de solvabilidade e liquidez as dissipam.

"Se em algum momento houve dúvidas -- não sei se houve e quem as teve --, o Montepio é instituição com 170 anos, só isso mostra a perenidade, a força da instituição", afirmou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon