Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mundial2014: Luís Neto quer deixar a sua “marca” no Brasil

Logótipo de LusaLusa 26/05/2014 Ricardo Carvalho
ESTELA SILVA/LUSA © @ EPA / ESTELA SILVA ESTELA SILVA/LUSA

Óbidos, 26 mai (Lusa) - Luís Neto quer deixar a sua "marca" no Mundial2014, apesar de reconhecer que a concorrência de Pepe e Bruno Alves, os habituais centrais da seleção portuguesa de futebol, lhe dificultará a tarefa de escapar ao banco de suplentes.

O defesa está a viver hoje um "dia especial", pois festeja o 26.º aniversário com "outra família", os jogadores da equipa lusa, que o jogador dos russos do Zenit de São Petersburgo acredita terem "potencial para fazer uma grande campanha" no Brasil.

"Para mim é um grande prémio de carreira e um marco importante poder participar na minha primeira competição internacional, representando as cores do nosso país. Quero tentar aproveitar ao máximo esta oportunidade", disse Luís Neto, em conferência de imprensa realizada em Óbidos, onde a seleção nacional está a estagiar.

O defesa reconheceu que a equipa das quinas "tem grandes centrais" entre os 23 futebolistas convocados pelo selecionador Paulo Bento e uma dupla habitualmente titular, composta por Pepe e Bruno Alves, que "se entende muito bem", mas quer mais do que ser apenas uma segunda escolha.

"Portugal tem estado bem servido [com Pepe e Bruno Alves], mas quero fazer um bom trabalho e deixar a minha marca", assinalou Luís Neto, que poderá beneficiar da insuficiência física de Pepe para "ganhar minutos" no jogo particular de sábado com a Grécia, treinada por Fernando Santos.

Luís Neto reconheceu que há três anos não lhe "passaria pela cabeça" estar entre os eleitos e que foi com alguma surpresa que recebeu o anúncio da convocatória, mas, depois de ter conquistado o seu espaço, só pensa em constituir-se como "um jogador importante" na seleção e aponta já baterias à titularidade no Europeu de 2016, em França.

Do que o central do Zenit não tem dúvidas é que sairá desta caminhada "melhor jogador, mais preparado e mais feliz", independentemente do resultado que Portugal obtenha na fase final, que passará muito pela forma como correr a primeira fase, frente a Alemanha, Gana e Estados Unidos.

"A nossa ambição é muito grande. Temos potencial para fazer grande campanha. Se fizermos uma fase de grupos forte e chegarmos aos oitavos de final poderemos pensar em algo mais. Aí entrará o fator motivação e o querer fazer algo inédito pelo nosso país", notou.

Para Luís Neto, o facto de a seleção lusa estar fora do lote de favoritos pode "jogar a favor" da equipa nacional, mas rejeitou que isso retire pressão, pois os jogadores "sentem o peso" de representar Portugal e estão "conscientes das suas responsabilidades".

Portugal integra o grupo G do Mundial2014, em conjunto com a Alemanha, frente à qual se vai estrear, a 16 de junho, em Salvador, os Estados Unidos, que defrontará a 22, em Manaus, e o Gana, último adversário na primeira fase de prova, a 26, em Brasília.

"Tudo aquilo que seja pensar em fazer um grande trabalho no Brasil passará sempre pela fase de grupos. São três jogos para demonstrar a nossa qualidade. Somos ambiciosos, temos uma grande seleção, mas o foco terá de estar no primeiro jogo, com a Alemanha", advertiu.

RPC/AO // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon