Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mundial2014: Talento de Ronaldo insuficiente para passar dos oitavos - Goldman Sachs

Logótipo de LusaLusa 28/05/2014 Bruno J. A. Manteigas

Londres, 28 mai (Lusa) - O "talento excecional" de Cristiano Ronaldo será insuficiente para levar Portugal para além dos oitavos de final no Mundial2014 de futebol, no Brasil, estima o banco de investimento Goldman Sachs num estudo divulgado hoje.

O analista Andrew Benito admite que o sucesso da seleção portuguesa dependerá do desempenho do avançado, mas considera o caso português um exemplo de como "alavancar sucesso isolado parece mais comum em economias do que no futebol".

No estudo intitulado "O Campeonato do Mundo e a Economia", é referida a teoria do economista David Ricardo de como certas economias crescem em torno de pequenos setores - no caso luso o setor alimentar e bebidas, calçado e vestuário.

Porém, acrescenta Benito, "existem poucos exemplos [no futebol] onde o sucesso foi construído em torno de um jogador" e considera ainda mais raros os casos no futebol internacional, apontando os exemplos de Pelé e Maradona, que foram suportados por equipas fortes.

Embora Ronaldo tenha tido sucesso nos clubes em que jogou, Manchester United e Real Madrid, os troféus foram sempre ganhos por coletivos compostos por estrelas individuais, argumenta.

O analista vinca que as seleções têm mais dificuldades em construir sucesso do que os clubes, onde é possível "importar" jogadores estrangeiros.

Acrescenta que a dependência da seleção das "quinas" de Ronaldo torna-a "vulnerável a choques", como lesões, porque não existe outro internacional português com tanta influência na equipa.

"Se um ‘choque’ afetar um setor, podem ser realocados recursos para outros setores, se a economia for ‘flexível’ e o choque não for muito grande. Este último é uma lição que a economia portuguesa aprendeu através da introdução de reformas estruturais como parte do programa de ajustamento" da troika, vinca Benito.

Aplicando todos estes fatores, estatísticas relativas a prestações anteriores da seleção portuguesa e também das restantes equipas, o estudo prevê que Portugal se qualifique na fase de grupos mas que seja eliminado nos oitavos de final pela Argentina por um resultado 2-1.

A final, prevê o relatório, será entre Brasil e Argentina, e o troféu será conquistado pelo país anfitrião (3-1).

MÁRIO CRUZ/LUSA © @ EPA / MÁRIO CRUZ MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal integra o grupo G da fase final, em conjunto com a Alemanha, frente à qual se vai estrear, a 16 de junho, em Salvador, os Estados Unidos, que defrontará a 22, em Manaus, e o Gana, último adversário na primeira fase de prova, a 26, em Brasília.

BM // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon