Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mundial2018: Nani diz que Portugal tem "margem mínima de erro"

Logótipo de LusaLusa 08/11/2016
MÁRIO CRUZ/LUSA © LUSA / MÁRIO CRUZ MÁRIO CRUZ/LUSA

Oeiras, Lisboa, 08 nov (Lusa) - O extremo Nani afirmou hoje que Portugal tem "margem mínima de erro" na qualificação para o Mundial2018 de futebol e disse que não está preocupado com a possibilidade de perder a titularidade para André Silva.

"Não me sinto ameaçado por nada. Sempre que venho à seleção sei que sou mais um jogador e que não tenho lugar garantido. Venho confiante e ciente que o que tenho que fazer é ajudar a equipa. Vamos esperar até ao dia do jogo para ver quem vai jogar. Quem jogar vai dar o seu melhor", afirmou Nani.

O jogador do Valência falava em conferência de imprensa na Cidade do Futebol, em Oeiras, minutos antes de Portugal realizar o primeiro treino de preparação para o jogo com a Letónia, da quarta jornada do grupo B da fase de apuramento para o próximo Campeonato do Mundo, que se vai realizar na Rússia.

Nani falhou os dois últimos jogos da seleção nacional, frente a Andorra e Ilhas Faroé (ambos vitória por 6-0), e foi rendido no 'onze' por André Silva, que marcou um total de quatro golos, incluindo um 'hat-trick' em Torshavn.

Para o extremo de 29 anos, Portugal está obrigado a vencer no domingo a Letónia e todos os jogos que restam da qualificação, de forma a alcançar o primeiro lugar do grupo B, o único que garante o acesso direto à fase final do Mundial2018.

"Temos margem mínima de erro. Começámos mal perante uma das favoritas para a passar, que é a Suíça, e a nossa qualificação ficou um pouco mais complicada. Demos uma excelente resposta nos últimos dois jogos e temos que continuar assim. Se queremos ser primeiros, temos que ganhar todos os jogos", frisou.

O jogador formado do Sporting assumiu que a seleção lusa é favorita frente à Letónia, ainda mais a jogar em casa, sendo que a última derrota com o estatuto de anfitrião foi há mais de dois anos.

"Não há jogos fáceis e a Letónia não foge à regra. Vamos ter que provar dentro de campo que somos melhores. Se fizermos tudo o que sabemos e colocarmos a nossa qualidade dentro de campo, vai ser muito difícil bater-nos em casa", disse.

Nani, que é o quarto jogador da história do futebol português com mais internacionalizações pela seleção principal (105), abordou ainda a chegada de novas caras à equipa, como por exemplo Gelson Martins.

"É um bocado tímido. Já lhe disse para não ter medo de nada e que todos começamos assim. Ele tem muito potencial e disse-lhe para, quando for chamado, mostrar o que sabe", contou.

O antigo jogador do Manchester United está a cumprir sua primeira temporada no Valência e mostrou-se satisfeito com a nova experiência, apesar de o clube 'che' já ter trocado de treinador e de estar apenas um ponto acima da zona de despromoção na liga espanhola.

"A minha vida está espetacular em Valência. O clima é bom, a cidade é fantástica e estou a jogar num excelente campeonato", referiu.

O Portugal-Letónia, da quarta jornada do grupo B, está agendado para 13 de novembro, domingo, no Estádio Algarve.

A seleção nacional, atual campeã da Europa, ocupa o segundo lugar do agrupamento com seis pontos, menos três do que a Suíça, que lidera. A formação letã é quinta e antepenúltima com apenas três pontos.

LG/MYO // VR

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon