Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Mundial2018: Pizzi assume o desejo de ser titular na seleção

Logótipo de LusaLusa 23/03/2017
TIAGO PETINGA/LUSA © LUSA / TIAGO PETINGA TIAGO PETINGA/LUSA

Lisboa, 23 mar (Lusa) - Pizzi, titular indiscutível no Benfica, afirmou hoje que está a "trabalhar muito" por um lugar na seleção portuguesa de futebol e assumiu o desejo de realizar o seu primeiro jogo oficial no Estádio da Luz, frente à Hungria.

O médio ‘encarnado’ tem quatro internacionalizações por Portugal, mas foi sempre utilizado em jogos particulares, algo que o jogador de 27 anos espera alterar no sábado, em jogo da quinta jornada do grupo B da qualificação para o Mundial2018.

"A seleção está recheada de ótimos jogadores em todos os setores, não só a meio campo. Quero afirmar-me na seleção como me afirmei no Benfica, mas o mais importante é estar cá e ajudar em tudo o que for possível. Todos os jogadores têm o objetivo de ajudar o nosso país e eu sou mais um deles", afirmou Pizzi.

O jogador formado no Bragança falava aos jornalistas em conferência de imprensa, minutos antes de mais um treino de Portugal, desta vez no Estádio da Luz, em Lisboa, palco do duelo com os húngaros.

"Este estádio é muito importante para mim. É a minha casa e claro que gostava de poder ajudar a seleção frente à Hungria", disse.

Questionado sobre se a pouca utilização de jogadores como João Mário, João Moutinho, André Gomes e Renato Sanches nos respetivos clubes poderá abri-lhe a porta para a titularidade, Pizzi lembrou que a decisão final cabe sempre ao selecionador Fernando Santos.

"Todos os jogadores têm qualidade para jogar. Se não têm vindo a jogar nos clubes é por opção dos treinadores desses clubes e isso não influencia o selecionador. Eu estou preparado para jogar em qualquer posição que o treinador queira", referiu.

Para o médio - com Portugal no segundo lugar, a três pontos da líder Suíça, num grupo em que apenas o primeiro posto dá acesso direto ao próximo Campeonato do Mundo - é obrigatório vencer no sábado a Hungria, uma equipa que no Euro2016 mostrou que pode complicar muito a vida à seleção nacional.

"Vai ser um jogo bastante complicado. A Hungria provou no Europeu [2016] que tem uma excelente seleção e luta pelo mesmo objetivo do que nós. Queremos vencer a continuar esta caminhada, que vai ser dura até final", considerou.

Pizzi abordou ainda o ‘clássico’ entre Benfica e FC Porto, que se vai disputar a 01 de abril e será muito importante para as contas da I Liga.

"Todos os jogadores têm uma relação ótima, sejam do Benfica, FC Porto ou outro clube. Estamos na seleção nacional e defendemos os mesmos objetivos. Pensaremos no ‘clássico’ a seguir ao jogo com a Suécia", concluiu.

O Portugal-Hungria está agendado para as 19:45 de sábado e terá arbitragem do polaco Szymon Marciniak.

Três dias após o duelo com os magiares, a seleção lusa tem um particular agendado com a Suécia, na Madeira.

LG // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon