Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Não acredito que o Benfica não tenha usado a informação para chantagear presidente da FPF"

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/06/2017 Hugo Monteiro

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, reage às mais recentes acusações do FC Porto relativamente ao Benfica.

© Filipe Amorim/Global Imagens

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, reagiu na noite desta quinta-feira às mais recentes acusações do FC Porto, pela voz de Francisco J. Marques, acusando o Benfica de monitorizar Fernando Gomes, agora presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

"Faz parte das revelações que têm vindo a ser feitas relativamente ao padrão de comportamento do Benfica, desta era de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica. Não nos surpreende do ponto de vista dos procedimentos, embora seja o que toda a gente suspeitava que acontecia e que o Sporting tem vindo nos últimos quatro, cinco anos tem vindo a denunciar aquilo que é o polvo benfiquista. A diferença de tudo isto é que há evidências materiais desse mesmo procedimento. Há trocas de emails, há agora SMS, o que é gravíssimo. Tão ou mais grave do que a divulgação das trocas de emails por uma razão simples. Não sei se Fernando Gomes sabia ou não que estes SMS estavam na posse do Benfica, mas não acredito que, se o Benfica dispunha desta informação, não tenha feito uso dela. Isto no sentido de pressionar, de chantagear o presidente da FPF. O que foi dito é de índole profissional, mas também falou em coisas de índole pessoal. Referiu-se a uma de índole profissional em que o presidente FPF declara eterno amor ao azul e branco. Informação é poder e depois isso depende muito de como se usa o poder" comentou.

"Vamos deixar de ser anjinhos quanto à bondade destas pessoas, que não a têm. Julgam na praça pública o caráter dos seus adversários. Recuperando a história recente do Benfica tinha um diretor de comunicação, João Gabriel, que coordenava a cartilha. Depois, porque não houve espaço para dois galos no mesmo poleiro, saiu de cena, apesar de estar sempre nos bastidores, passou a ser o Carlos Janela, um artista da inovação de cartilhas, a ser o estratega e o gestor do comentário benfiquista. O Benfica tem uma formação de atletas, que este ano não foi bem sucedida, e outra de comentadores. O Benfica sentiu necessidade de reforçar a equipa, que sempre fez um trabalho sujo, de intriga e ataque pessoal. Tinha um ponta de lança: Pedro Guerra. Ficou conhecido por fazer parte do núcleo sinistro que fabricava notícias por um determinado processo. A ele juntou-se Luís Bernardo, discreto, mas eficiente homem de expedientes que tentou transportar para o Benfica a área de recolha de informação negativa para destruir pessoas, transmitindo informação falsa massivamente. Foi por isso que foi afastado do Sporting. Não aceitamos esse procedimento. Por isso dizemos que somos diferentes. Não nos interessa a vida privada das pessoas. Não nos interessa se fulano tem amantes ou se sicrano não se sabe comportar à mesa. Interessa-nos a conduta pública e institucional das pessoas", disse ainda Nuno Saraiva, na Sporting TV.

O melhor do MSN em qualquer dispositivo


AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon