Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Não fui eu que falei do antijogo, foi o treinador de um rival"

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/04/2017 Alcides Freire

Jorge Jesus quis esclarecer o que quis dizer com antijogo quando falou do Vitória de Setúbal na conferência de imprensa de antevisão

Jorge Jesus considera que não entenderam quando, na antevisão do jogo, disse que a equipa sadina era perigosa porque faz muito antijogo. "O José Couceiro é um treinador positivo. O treinador de um dos rivais [Nuno Espírtio Santo, técnico do FC Porto] é que disse que o Vitória de Setúbal faz antijogo, não fui eu. Só confirmei as ideias. Quando estamos numa equipa pequena e defrontámos uma equipa grande, às vezes, temos de ter essa estratégia".

Jorge Jesus © Jorge Amaral Jorge Jesus

destaquenaoperca6219676

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo desta noite, Jorge Jesus disse logo no início, quando analisava o adversário: "É uma equipa que defende bem. Que quando marca primeiro, pelo facto de defender bem, torna-se uma equipa perigosa, porque depois faz muito antijogo. A qualidade de defender bem, aqui, é o antijogo".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon