Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Norte-coreano deserta para a Coreia do Sul através da fronteira marítima

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/08/2017 Administrator

Um cidadão norte-coreano foi resgatado hoje depois de ter atravessado a fronteira marítima e de ter manifestado a vontade de desertar, informou o exército sul-coreano.

O homem foi localizado por um militar enquanto realizava uma patrulha de rotina na ilha de Gyodong, situada junto à linha que divide as duas Coreias no Mar Amarelo, detalhou o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul à agência de notícias Yonhap.

Como define o protocolo, o homem, na casa dos 20 anos, está a ser interrogado pelas autoridades sul-coreanas que tentam averiguar como cruzou a fronteira marítima.

Trata-se do oitavo norte-coreano a desertar para a Coreia do Sul por mar num intervalo de apenas dois meses.

Em junho, um pai e um filho cruzaram a fronteira marítima e, no mês passado, um grupo de cinco norte-coreanos fez o mesmo.

Em ambas ocasiões, atravessaram a fronteira pela parte oriental, no Mar do Japão (designado de "Mar do Leste" pelas Coreias).

A opção mais utilizada pelos desertores norte-coreanos - e menos arriscada - passa por atravessar a China e tentar chegar, a partir do país vizinho, a uma terceira nação, a partir de onde podem requerer asilo na Coreia do Sul através de um consulado sul-coreano.

Pyongyang não reconhece o traçado da fronteira marítima do Mar Amarelo, conhecida como Linha Limite do Norte, definido pela ONU após a guerra da Coreia (1950-1953).

As duas Coreias permanecem tecnicamente em guerra, dado que o conflito terminou com um armistício, nunca substituído por um tratado de paz definitivo.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon