Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Novo centro de estudos em Itália vai debruçar-se sobre obra de Caravaggio

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/09/2017 Administrator

A Galeria Borghese e a casa de moda Fendi anunciaram hoje, em Roma, a criação de um centro de estudos e investigação para autentificar a obra do pintor italiano Caravaggio (1571-1610).

As duas organizações irão reunir esforços, com vista a combater as atribuições erradas de trabalhos do célebre pintor a outros artistas.

"Uma vez que os grandes especialistas na obra de Caravaggio estão a desaparecer, qualquer pessoa pode decidir atribuir uma obra ao artista", explicou a diretora da Galeria Borghese, Anna Coliva, em conferência de imprensa, recordando a frequência de tais casos nos últimos anos.

O exemplo mais recente é o de uma pintura encontrada em 2014, num celeiro perto de Toulouse, no sul da França, que dividiu a opinião dos peritos no trabalho do italiano, cujo nome verdadeiro era Michelangelo Merisi.

Coliva sublinha que o Instituto de Investigação Caravaggio surgiu, precisamente, para evitar estas controvérsias e que a instituição pode servir de "modelo a ser aplicado a outras estruturas, [salvaguardando as obras originais] de outros autores".

Como tal, acrescenta que o centro deve tornar-se a "referência mundial" na pesquisa sobre Caravaggio, divulgando os progressos realizados nos estudos numa plataforma 'online', que funcionará como o banco dos seus dados mais importantes, garantiram os responsáveis.

A dupla de estruturas culturais italianas, que levou a cabo a iniciativa, projetou ainda um programa de exposições dedicado ao artista, que será organizado por vários museus, mundialmente, nos próximos três anos.

O Museu Getty, em Los Angeles, é o primeiro a participar, exibindo três pinturas autentificadas de Caravaggio emprestadas pela Galeria Borghese, a partir de 21 de novembro.

A parceria entre a casa de moda e a galeria foi planeada "quase como uma piada" por Dario Franceschini - o ministro da Cultura italiano - que convidou a marca internacional Fendi a "apadrinhar um museu", salientou o presidente da casa de moda, Pietro Beccari.

Beccari frisa que a marca esteve fortemente envolvida no campo da cultura, mais recentemente, citando os exemplos da exposição "Matrix", do escultor Penone, organizada na sede da Fendi, bem como o do financiamento do restauro da Fonte de Trevi.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon