Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Nuno Saraiva e o e-mail divulgado por Bruno de Carvalho: "Sejam implacáveis"

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/04/2017 Hugo Monteiro

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, também reagiu ao e-mail alegadamente trocado entre João Paiva dos Santos, antigo candidato à presidência do clube, e Pedro Guerra, comentador do Benfica.

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, também reagiu ao e-mail alegadamente trocado entre João Paiva dos Santos, antigo candidato à presidência do clube, e Pedro Guerra, comentador do Benfica.

© Gerardo Santos/Global Imagens

"Quando, a 1 de novembro de 2016 em pleno período pré-eleitoral, o Presidente do Sporting Clube de Portugal denunciava uma 'pequena franja de híbridos sportinguistas' dispostos a vender a alma ao diabo para destruírem tudo aquilo que tanto custou a conquistar, meio mundo indignou-se porque, tal como São Tomé, as pessoas são crentes apenas quando veem. Hoje, Bruno de Carvalho apresentou uma prova dessa ligação estreita e promiscua entre os ditos híbridos sportinguistas e comentadores encartilhados que, na altura, tinha por objetivo a manipulação e intromissão abusiva na vida interna do Sporting CP, sob a orientação expressa de Luís Filipe Vieira. Para que fique claro, estou a falar de João Paiva dos Santos e da partilha de informação interna do nosso Clube a Pedro Guerra - o tal que garante não ser funcionário mas que tem endereço de email com domínio registado na Luz e só acessível aos assalariados do Benfica - a troco da satisfação da sua agenda pessoal que tinha por único objetivo denegrir a imagem do Presidente e do Sporting CP", começou por escrever no Facebook.

"Espero, sinceramente, que os órgãos disciplinares do nosso Clube sejam implacáveis com este tipo pessoas. E espero também que, os indignados de então, percebam de uma vez por todas que estamos sob permanente ameaça, mesmo dentro da nossa casa. Não se trata de qualquer perseguição pessoal a quem quer que seja. É, como resulta claro e evidente, um dever de todos nós expurgar todo e qualquer elemento que tenha, em relação ao Clube, um comportamento desleal e incompatível com os mais elementares valores da ética Sportinguista", completou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon