Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Nuno Saraiva fala de uma normalização de relações em curso

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/05/2017 Hugo Monteiro

Diretor de comunicação do Sporting garantiu que os pontos de vista convergentes com o FC Porto têm de ter uma sequência e garantiu que os dragões não deixam de ser um "rival" que os de Alvalade vão querer vencer

© Gerardo Santos/Global Imagens

Nuno Saraiva comentou na noite desta quinta-feira a reunião de trabalho que manteve com Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, e sublinhou que esta serviu para dar os primeiros passos numa normalização de relações institucionais que ainda não está efetivada.

"Houve de facto uma reunião de trabalho entre os responsáveis de comunicação do Sporting e do FC Porto. Ao contrário do que foi propalado não foi uma cimeira anti quem seja. Foi uma reunião de trabalho em prol daquilo que consideramos fundamental e estruturante para o futebol português. Porque o FC Porto não deixa de ser o nosso rival por haver esse esforço de normalização de relações institucionais. O FC Porto continua a ser um rival do Sporting, que queremos vencer sempre. Estamos a falar de pontos de vista, ideias e propostas que têm de ver com o futuro do futebol português, com a transparência do futebol português, com a verdade desportiva e com a melhoria do desporto nacional. É disso que estamos a falar. E é disso que falamos quando dizemos que é mais o que nos une do que o que nos separa. Os pontos de vista têm de ter sequência, desde logo quando a normalização das relações institucionais entre ambos se efetivar. Porque ela ainda não está efetivada", afirmou o diretor de comunicação do Sporting, em entrevista ao canal do clube.

Na sua intervenção, Nuno Saraiva também enunciou vários pontos convergentes entre os dois clubes, que foram apresentados num comunicado conjunto, como a implementação do vídeo-árbitro, a divulgação dos relatórios dos árbitros e dos delegados, castigos com aplicação desportiva e que não colidam com a Constituição, bem como o reconhecimento dos títulos do Campeonato de Portugal como sendo títulos de campeão nacional e a necessidade de aplicar a lei na questão das claques ilegais... "doa a quem doer".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon