Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"O Benfica é tão grande que só se cobre em ridículo com isto"

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/06/2017 Alcides Freire

Abrantes Mendes, ex-presidente da mesa da AG, coloca-se ao lado dos dirigentes leoninos após a aprovação da proibição de utilização de cigarros eletrónicos em áreas técnicas na AG da Liga de Clubes

© Fornecido por O jogo

Abrantes Mendes, antigo presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting e ex-candidato à presidência do emblema de Alvalade, mostrou, a O JOGO, a sua indignação pela aprovação do artigo 136.º-A do Regulamento Disciplinar - que alude ao facto de ser considerado uma "indignidade agravada o ato de fumar em zona técnica, incluindo cigarros eletrónicos" -, colocando-se ao lado da direção de Bruno de Carvalho, disparando sobre o Benfica, que considera "estar a ridicularizar-se com a proposta que apresentou".

O antigo juiz desembargador é contundente. "É um episódio lamentável. São dois clubes de queixinhas, Benfica e Sporting. Não tem pés nem cabeça, é um ataque personalizado ao presidente do Sporting. Admira que não tenham colocado outras substâncias mais nocivas, como cocaína, heroína ou ácidos. Se contemplasse tudo, talvez compreendesse. Abstenções? Foi uma forma cobarde de não tomar uma posição. Não tem pés nem cabeça. O Benfica é tão grande que só se cobre em ridículo com isto, dá um pontapé na sua história", disse.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon