Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

O categórico título dos Spurs

Sportinveste 16/06/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
O categórico título dos Spurs © Sportinveste Multimédia O categórico título dos Spurs

Foi com grande categoria que os San Antonio Spurs conquistaram mais um título da NBA, numa final com os Miami Heat.

Os San Antonio Spurs conquistaram com imensa categoria e ímpar qualidade coletiva o seu quinto título da Liga norte-americana de basquetebol profissional (NBA), ao superarem por grande margem, pela quarta vez na final, os bicampeões Miami Heat. O triunfo por 17 pontos (104-87), depois de um primeiro por 15 (110-95), um segundo por 19 (111-92) e um terceiro por 21 (107-86), selou uma vitória indiscutível, que chega, provavelmente, com um ano de atraso, mas com mais classe, de uma equipa refinada, uma das melhores de sempre do jogo.

Após terem estado com a mão no troféu em 2013, num malfadado sexto jogo, acabando por cair no sétimo, os Spurs "vingaram-se" dos Heat e fizeram-no como um coletivo, um conjunto que valeu sempre muito mais do que a soma das suas individualidades, culpa do técnico penta-campeão Gregg Popovich.

Kawhi Leonard, o terceiro mais jovem jogador de sempre a ser eleito Jogador Mais Valioso (MVP) da final, com 22 anos e 349 dias, foi a principal figura da equipa, com 17,8 pontos de média, sendo que, no quinto jogo, acabou com 22 pontos e 10 ressaltos. Os suplentes Manu Ginobili, com 19 pontos, e Patrick Mills, com 17, também foram decisivos no quinto jogo, para a equipa recuperar de uma desvantagem de 16 pontos, tal como Tony Parker, com 16, e Tim Duncan, com 14.

Do lado dos Heat, LeBron James foi, de longe o melhor, com 31 pontos e 10 ressaltos, mas, uma vez mais, pareceu um jogador à parte da equipa, nunca a conseguindo envolver. James até entrou "furioso" e, com 12 pontos nos primeiros 6.54 minutos, comandou os Heat a um impressionante parcial inicial de 22-6. Os Spurs não acertavam, mas, num repente, com Manu Ginobili em campo, marcaram 12 pontos seguidos sem resposta.

Com quase três minutos para jogar, a reviravolta parecia que ainda poderia acontecer até ao final do parcial, mas, James voltou a aparecer, passando a somar 17 pontos, e os Heat terminaram o primeiro período na frente (29-22), pela primeira vez na série. A vantagem manteve-se no início do segundo parcial (35-28), mas, então, os anfitriões começaram a fazer o seu jogo habitual, os lançamentos começaram a entrar (os 52,8% nos "tiros" de campo são um novo recorde nas finais), a defesa a funcionar e o resultado foi um parcial de 19-5.

Ginobili foi a grande inspiração dos texanos, ao conseguir 10 dos 19 pontos, incluindo um espetacular "afundanço" no meio da defesa dos Heat. Ao intervalo, os texanos já lideravam por sete pontos (47-40).

A segunda parte começou com sucessivos falhanços das duas equipas, mas a primeira a engrenar foram os Spurs, que passaram rapidamente a vantagem para a casa das unidades e, num ápice para as duas dezenas, isto com um "super" Patrick Mills.

O australiano marcou 14 pontos, incluindo quatro "triplos", no terceiro período, que os Spurs terminaram com 19 pontos à maior (77-58), aproximando-se ainda mais do título.No quarto parcial, o conjunto comandado por Spoelstra ainda reduziu para 14 pontos (79-65), com quase 10 minutos para jogar, mas, então, apareceu Tony Parker para sentenciar em definitivo o jogo, o título e a época. Acabou em 104-87.

Sob a arbitragem de Marc Davis, Ken Mauer e Scott Foster, as equipas alinharam e marcaram:

- San Antonio Spurs: Tony Parker (16), Kawhi Leonard (22), Danny Green, Boris Diaw (5) e Tim Duncan (14). Jogaram ainda Manu Ginobili (19), Tiago Splitter (3), Patrick Mills (17), Matt Bonner, Marco Belinelli (4), Jeff Ayres (2), Cory Joseph e Aron Baynes (2).

Treinador: Gregg Popovich.

- Miami Heat: Dwyane Wade (11), LeBron James (31), Ray Allen (5), Rashard Lewis (3) e Chris Bosh (13). Jogaram ainda Shane Battier, Chris Andersen, Norris Cole (2), Udonis Haslem (2), Mario Chalmers (8), Michael Beasley (9), James Jones e Toney Douglas (3).

Treinador: Erik Spoelstra.

Marcha do marcador: 22-29 (primeiro período), 47-40 (intervalo), 77-58 (terceiro período) e 104-87 (resultado final).

Fonte: OJOGO

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon