Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"O jogador do Braga tem que assumir e arriscar, foi o que fez Xadas"

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/08/2017 Alcides Freire

Abel Ferreira, treinador do Braga, espera que as más entradas em jogo deixem de ser um problema em breve

AIK e Benfica: "Em parte sim, concordo que o momento decisivo foi o golo do Xadas. Não entrámos com intensidade e dinâmica que queríamos no início do jogo, vamos refletir e perceber se os 120 minutos com o AIK, de grande intensidade física e psicológica, e a seguir um jogo com o Benfica, sempre a correr atrás do resultado, tiveram influência."

O fator Vítor Oliveira: "A verdade, é que nada fazia prever que não entrássemos dinâmicos, mas o treinador do Portimonense conhece-me muito bem, sabe como as minhas equipas jogam, é uma equipa muito forte nas transições, deu-nos a iniciativa consentida do jogo, baixou as linhas e saiu muito em transições."

Xadas e os adeptos: "Sofremos o golo e o adversário continuou com as linhas muito cerradas e juntas, mas, como já disse antes, um jogador do Braga tem que assumir e arriscar e foi o que o Xadas fez, hoje foi ele, amanhã pode ser o Ricardo Horta ou Fábio Martins. Além do golo do Xadas, destaco a paciência dos adeptos, era muito fácil haver intranquilidade, um assobio e isso condiciona ainda mais a equipa e a decisão. É nestes momentos que precisamos dele, do 12º jogador, que pode fazer a diferença."

O GOD: "Na segunda parte, fomos mais dinâmicos, tivemos mais oportunidades de golo, fizemos o segundo e podíamos ter feito o terceiro. Amanhã [segunda-feira] vamos reunir com o gabinete de otimização desportiva, o GOD, e vamos escolher os que tiverem em melhores condições para a próxima batalha [o jogo de quinta-feira com o FH Hafnarfjordur, da Liga Europa]."

. © Gonçalo Delgado .

Repetição da má entrada: "Estamos no início da época, há muitos jogadores novos, este é um clube grande e os jogadores têm que se sentir confortáveis. Conheço estes jogadores como a palma da minha mão, foi um trabalho exaustivo, sei que têm qualidade e que é um clique que as vitórias ajudam a dar.

Rosic ficou de fora por opção: "Temos 24 jogadores famintos de uma oportunidade, essa é a minha função. Estou muito satisfeito com o que tem feito, veio muito determinado e focado em melhor em certos aspetos e conto com todos."

Golos marcados e sofridos: Desde que o Braga faça mais golos do que sofre, por mim está ótimo. Há um processo, esta é uma equipa que se expõe ainda muito às transições e temos falado muito do momento da perda de bola. Há jogadores que sentiram algumas dificuldades por terem 50 metros nas costas, mas o Braga tem de jogar assim e correr riscos".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon