Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Oboísta Samuel Bastos venceu concurso internacional Fernand Gillet-Hugo Fox nos EUA

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

O oboísta português Samuel Bastos é o vencedor do concurso internacional de oboé Fernand Gillet-Hugo Fox, organizado pela International Double Reeds Society, na Lawrence University em Appleton, Wisconsin, Estados Unidos da América, foi hoje anunciado.

Samuel Bastos, atual oboé solista da Orquestra da Ópera de Zurique (Opernhaus Zurich), vencedor do Prémio Jovens Músicos (RDP/Antena2), em 2007, interpretou, na final, que decorreu a 23 de junho, o Concerto "Phoenix", para oboé e orquestra de cordas, do compositor britânico Paul Patterson.

O músico português, que já foi solista da Academia Herbert von Karajan da Filarmónica de Berlim, formou-se no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga e na Escola Superior de Música de Lisboa, com José Fernando Silva e Andrew Swinnerton, antigo oboé solista da Orquestra Gulbenkian.

Fez parte da European Union Youth Orchestra, da European Wind Orchestra, The World Orchestra e da Gustav Mahler Jugend Orchester. Como oboista solista, tocou com as orquestras da Ópera de Frankfurt, de Basileia de Lucerna e de Berna, na Suíça, com o Remix Ensemble, a Orquestra Gulbenkian, a Sinfonia Varsovia e a Tonhalle-Orchester Zürich.

Aprofundou os estudos, como solista em oboé e corne inglês, em instituições europeias como a Academia da Ópera de Zurique a a Alta Escola das Artes, desta cidade suíça, com os professores Maurice Bourgue, Thomas Indermühle, Philipp Mahrenholz e Bernhard Heinrichs, Martin Frutiger e Thomas Indermühle.

Samuel Bastos é membro fundador da Revista Musical Portuguesa "Da Capo" e colabora regularmente com a Orquestra XXI.

O concurso internacional de oboé Fernand Gillet-Hugo Fox, que distingue os melhores instrumentistas a nível mundial, pelos seus pares, é organizado pela International Double Reeds Society, durante o congresso da associação, que este ano reuniu mais de 500 fagotistas e oboístas do mundo inteiro.

O segundo prémio foi atribuído ao francês Gabriel Pidoux, tendo sido ainda distinguidos, com menções honrosas, a oboísta japonesa Yurie Aramaki e os músicos norte-americanos Claire Brazeau e Andreas Oeste.

A edição de 2018 do concurso será acolhida pela Asociación de Fagotistas y Oboístas de España, em Granada.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon