Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Obra "Soares sempre fixe!" reúne 38 anos de fotografias de Inácio Ludgero

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/10/2017 Administrator

O antigo Presidente da República e primeiro-ministro Mário Soares "acreditou num Portugal apontado para o futuro capaz de vencer as adversidades da vida com tolerância", afirma o escritor José Jorge Letria no álbum de fotografias "Soares sempre fixe!".

O álbum reúne diversas fotografias de autoria de Inácio Ludgero desde 1974 até 2012, além do 'fac-símile' de alguns documentos e textos do próprio fotógrafo, do presidente da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), José Jorge Letria, do administrador da Fundação Gulbenkian, Guilherme d'Oliveira Martins, e do ensaísta Eduardo Lourenço.

Eduardo Lourenço, no seu texto, considera: "Não terá sido fácil para Inácio Ludgero confrontar-se com a imagem de um Homem tão naturalmente sem pose como Mário Soares, a figura da nossa geração que entraria viva na memória do nosso século como a encarnação civil do regresso ao ideal democrático".

Ideal que, segundo o ensaísta, serviu a Mário Soares (1924-2017) de "modelo e de paixão intelectual", referindo que o político socialista "nunca se revestiu da túnica em excesso pesada de referência míticas ou mitificadas".

O ex-Presidente da República foi "alguém em quem a aparência e o natural mistério que cada um esconde eram nele uma espécie de espelho transparente", afirma Lourenço, segundo o qual o fotógrafo, para realizar o seu trabalho inspirou-se "no exemplo mesmo da 'verdade' sem pose -- da 'verdade' que Mário Soares ilustrou como se lhe fosse ao mesmo tempo fraterna e inacessível".

José Jorge Letria lembra no seu texto que Mário Soares foi também autor de, entre outras obras, "Ideias políticas e sociais de Teófilo Braga", e refere que o político "acreditou num Portugal apontado para o futuro capaz de vencer as adversidades da vida e do mundo global com tolerância, espírito humanista e respeito pela cultura".

"Os autores portugueses respeitam, e admiram Mário Soares como um dos seus, também por saberem que como primeiro-ministro e Presidente da República sempre considerou que a cultura deve ter importância estratégica e mobilizadora na vida de uma nação e de um povo que sabe olhar para o mundo e para o seu tempo", escreve o presidente da SPA.

Quanto ao fotógrafo, Letria afirma que tem uma "obra reconhecida em Portugal e internacionalmente", tendo fotografado Mário Soares "dentro e fora da vida política".

O álbum abre com uma fotografia na agremiação Voz do Operário, em Lisboa, em abril de 1974, com Mário Soares ao lado de Álvaro Cunhal (1913-2005), então líder do PCP, e inclui várias fotografias de cerimónias de Estado e visitas oficiais, mas também fotos com a família, em Bruxelas, em 1994, dançando com a mulher, Maria Barroso, em 1993, na Sociedade Filarmónica Alunos Apolo, em Lisboa, ou a banhos nas ilhas Selvagens, em 1991, entre outras.

Sobre o fotógrafo deixou escrito Mário Soares: "Inácio Ludgero é um prestigiado repórter fotográfico, que tem dedicado a sua vida a registar pela imagem os acontecimentos mais importantes das últimas décadas. Fá-lo com competência técnica, apurado sentido estético e uma invulgar simpatia humana".

A obra, "Soares sempre fixe!", editada pela Guerra & Paz, é apresentada na terça-feira às 18:30 na sala-galeria Carlos Paredes da SPA, em Lisboa.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon