Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

OE2018: Governo quer reforçar ataque ampliado a incêndios com recurso a meios aéreos

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/10/2017 Administrator

O Governo prevê adquirir, em 2018, viaturas operacionais para os bombeiros e equipamento de proteção individual e reforçar a capacidade de ataque ampliado a incêndios com recurso a meios aéreos, segundo a proposta do Orçamento do Estado.

"Pretende-se ainda consolidar o investimento no sector, através da modernização das infraestruturas e dos equipamentos dos bombeiros e demais agentes de proteção civil, designadamente através da aquisição de viaturas operacionais, de equipamentos de proteção individual, do reforço da capacidade de ataque ampliado a incêndios com recurso a meios aéreos e do desenvolvimento de sistemas de informação e comunicação de apoio à decisão operacional", refere a proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018) entregue na sexta-feira na Assembleia da República, que não quantifica o investimento pretendido.

Na área da proteção civil, o Governo quer apostar na descentralização de competências através do reforço do patamar municipal.

Para tal, prevê promover a consolidação dos serviços municipais de proteção civil, melhorar os níveis de coordenação local à escala municipal e desenvolver a criação de Unidades Locais de Proteção Civil das Freguesias, enquanto estruturas de concretização de ações essencialmente preventivas, em articulação com os serviços e agentes locais de proteção civil, adianta o documento.

O Ministério da Administração Interna quer também aumentar a capacidade e a resposta operacional através das Equipas de Intervenção Permanente, do empenhamento do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro da GNR e da Força Especial de Bombeiros e das Forças Armadas.

Segundo a proposta do OE2018, as novas regras de financiamento das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários vão ser concretizadas, bem como o cartão social do bombeiro e os novos regimes jurídicos referentes aos estatutos e carreiras dos bombeiros profissionais e dos bombeiros voluntários.

A segurança interna terá uma despesa total consolidada de 2.094,4 milhões de euros em 2018, mais 5,9%o face ao estimado para 2017.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon