Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Oferecido dinheiro a alegada vítima de Grace Mugabe para arquivar caso - advogado

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/08/2017 Administrator

A alegada vítima da mulher do Presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, acusada de agressão na África do Sul, recebeu uma proposta de pagamento em dinheiro para "arquivar o caso", afirmou hoje o advogado da jovem.

"A família [de Gabriella Engels, presumível vítima] foi abordada por uma terceira pessoa para aceitar dinheiro e arquivar o caso", declarou Gerrie Nel à imprensa, na presença da jovem, com o rosto parcialmente coberto por uma ligadura.

"Não foi avançado um montante", precisou, na conferência de imprensa realizada em Centurion, nos arredores de Pretória, acrescentando que a família tinha rejeitado a proposta.

Gabriella Engels está a ser defendida por uma estrela das barras de tribunal sul-africanas: Gerrie Nel tornou-se mundialmente conhecido aquando do caso Oscar Pistorius: então procurador do ministério público, obteve em 2015 a condenação por homicídio do campeão paralímpico.

Grace Mugabe, mulher do Presidente zimbabueano, é acusada de ter, no domingo passado, agredido Gabriella Engels, uma manequim de 20 anos que se encontrava no mesmo hotel que ela, num bairro de luxo de Joanesburgo.

A jovem apresentou queixa por golpes e ferimentos e não falou hoje publicamente.

O caso Grace Mugabe está a tornar-se uma dor de cabeça diplomática para a África do Sul, depois de as autoridades do Zimbabué terem pedido imunidade para a primeira-dama do país, segundo o ministério da Polícia sul-africano.

Engels foi "violentamente agredida por uma pessoa que se pensa intocável. Ela não é intocável", afirmou hoje Kallie Kriel, presidente da ONG AfriForum, que defende a vítima.

"Se a imunidade diplomática fosse concedida neste caso, teríamos de apresentar um recurso imediato junto da justiça para impedir a sua aplicação", completou o advogado Willie Spies na conferência de imprensa.

No momento do incidente, Grace Mugabe, considerada uma possível sucessora do marido, encontrava-se na África do Sul para tratar um pé, segundo a imprensa zimbabueana.

O marido chegou na quarta-feira à noite à África do Sul, três dias antes de uma cimeira dos dirigentes da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) agendada para o próximo fim de semana em Pretória.

Na ocasião, as primeiras-damas têm o seu programa, à margem do programa oficial dos governantes.

"A polícia vai pedir um mandado de detenção" para Grace Mugabe, afirmou Kallie Kriel.

"Está em vigor um alerta vermelho" para evitar que ela abandone a África do Sul, declarou, por seu lado, hoje o ministro da Polícia sul-africano, Fikile Mbalula, confirmando que Grace Mugabe ainda está no país.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon