Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

ONU recomenda mais 900 'capacetes azuis' para a República Centro-Africana

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/10/2017 Administrator

O secretário-geral da ONU, António Guterres, recomendou um reforço da missão de paz na República Centro-Africana (Minusca) com mais 900 'capacetes azuis', devido a um novo "ciclo de violência".

"É trágico que a deterioração da situação de segurança nos últimos meses, principalmente no sudeste, coloque o país num novo ciclo de violência, apesar dos múltiplos esforços para evitar um agravamento do conflito", sublinhou o secretário-geral num relatório enviado ao COnselho de Segurança na terça-feira.

"A situação humanitária no país é uma grande preocupação", disse Guterres, que deve em breve deslocar-se à República Centro-Africana, na sua primeira visita a uma operação de paz da ONU desde que tomou posse, em janeiro. O mandato da Minusca termina em novembro.

Perante esta situação, o secretário-geral da ONU recomendou "um aumento de 900 [membros] de pessoal militar" para a Minusca, que atualmente tem cerca de dez mil 'capacetes azuis', indicou o relatório.

Este reforço deve incluir "duas companhias de infantaria (300 homens, para melhorar a presença militar de dois batalhões no leste e centro" da República Centro-Africana. A estes deve juntar-se "um batalhão (600 homens) no centro e leste", acrescentou.

Guterres admitiu que estes reforços "não vão permitir realisticamente que a Minusca proteja todos os civis no país".

Mas vão dar "à força uma maior flexibilidade para ser rapidamente destacada em caso de ameaça contra civis em zonas geograficamente prioritárias", explicou.

A República Centro-Africana tem testemunhado um ressurgimento dos conflitos entre grupos armados que disputam o controlo de recursos naturais e zonas de influência.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon