Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Operação Fénix: testemunha diz que Godinho Lopes "dispensou" segurança

Logótipo de O Jogo O Jogo 09/03/2017 Hugo M. Monteiro

Ex-presidente do Sporting vai ser ouvido em tribunal a 17 de março, por vídeoconferência.

© FocusCelebration/Global Imagens

Uma testemunha da Operação Fénix admitiu esta quinta-feira, em tribunal, que "intermediou" a contratação de segurança pessoal para o antigo presidente do Sporting Godinho Lopes, mas sublinhou que o serviço não chegou a ser prestado.

Godinho Lopes - que vai ser ouvido pelo tribunal no a 17 de março, por videoconferência - "dispensou" o serviço, pelo que não houve lugar a qualquer pagamento, acrescentou a testemunha.

A testemunha disse que, após ter sido informado de que uma chegada de Godinho Lopes ao aeroporto de Lisboa poderia ser "atribulada", contactou o responsável da empresa de segurança SPDE, Eduardo Silva, pedindo-lhe se arranjava "uns homens" para marcarem presença no local.

Eduardo Silva apenas terá dado um contacto de pessoas que conhecia em Lisboa, "desligando-se" do assunto. Ainda de acordo com a mesma testemunha, foram mobilizados alguns homens para "proteger" Godinho Lopes mas este, à chegada ao aeroporto, terá "dispensado" os seus serviços.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon