Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Operação Marquês: Defesa de Sócrates diz que acusação é "condenação sumária na opinião pública"

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/10/2017 Administrator

A defesa de José Sócrates considerou hoje que a acusação do Ministério Público não é "minimamente séria nem objetiva", classificando-a como uma "violenta campanha de difamação e condenação sumária na opinião pública" do ex-primeiro ministro.

Em conferência de imprensa, o advogado João Araújo disse que o Ministério Público, na acusação do processo 'Operação Marquês', "não procurou a verdade" e que, no caso dos crimes de corrupção que lhe são imputados, "são escassíssimos e insubsistentes" os factos que serviram para deter o ex-primeiro-ministro.

"Não se tratou de buscar a verdade, antes de procurar a incriminação do nosso constituinte, enquanto o expunha a uma espécie de julgamento mediático, a uma violenta campanha de difamação e a uma condenação sumária na opinião pública", acusaram os advogados.

Os causídicos nada disseram sobre um possível pedido de abertura de instrução, justificando que a acusação é longa e que ainda não tiveram tempo de a analisar.

Sócrates está acusado de três crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documentos e três de fraude fiscal qualificada.

Numa primeira reação à acusação hoje divulgada, a defesa de José Sócrates assegurou em comunicado que vai examinar detalhadamente o despacho do Ministério Público contra o ex-primeiro-ministro na Operação Marquês e que irá "usar todos os meios do direito para derrotar" uma "acusação infundada, insensata e insubsistente".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon