Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Oposição timorense apresenta moção de rejeição ao programa do Governo

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/10/2017 Administrator

A bancada do maior partido da oposição timorense, o Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), apresentou hoje uma moção de rejeição do programa de Governo, nos momentos finais do debate que começou na segunda-feira.

A moção foi entregue instantes depois do presidente do parlamento, Aniceto Guterres, ter dito que estava concluído o debate do programa do executivo "por não haver mais inscrições" de deputados para intervir.

O guião do debate previa que a discussão, que começou na segunda-feira e estava agendado para durar até sexta-feira, terminasse em caso de não haver mais intervenções previstas.

A apresentação do texto da moção, entregue ao presidente do Parlamento Nacional pelo líder da bancada do CNRT, Arão Noé, levou à interrupção dos trabalhos durante cerca de 30 minutos para análise e verificação do conteúdo do documento.

A oposição maioritária, formada pelos 35 deputados do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), do Partido Libertação Popular (PLP) e do Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO) tinham anunciado a formação de uma Aliança de Maioria Parlamentar (AMP) que poderia ser alternativa de Governo em caso do chumbo do programa do VII Governo.

Para que o Governo minoritário caia, o programa tem que ser chumbado duas vezes, segundo a lei em vigor.

O executivo é apoiado pela coligação da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) e do Partido Democrático (PD) que em conjunto controlam 30 dos 65 lugares do parlamento.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon