Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Orfeão de Leiria lança programas de inclusão

Logótipo de O Jogo O Jogo 30/10/2017 Administrator

O Orfeão de Leiria apresentou hoje "Incluir com Arte", um programa que inclui quatro projetos de inclusão social pela cultura, envolvendo a comunidade estrangeira, cigana, jovens institucionalizadas e cidadãos com autismo.

Através da música e da dança, o conservatório de Leiria pretende aumentar a autoestima de indivíduos que habitualmente estão distantes das artes, explica o presidente do Orfeão: "A música e a dança podem ser motores fundamentais para o que chamamos coesão social", afirmou Acácio de Sousa, sublinhando a intenção de "não fazer um trabalho para nichos de pessoas diferentes".

"O trabalho com estes grupos será diferente, mas a apresentação será em conjunto com os nossos alunos do sistema regular de aprendizagem e dança", notou.

Em alguns dos projetos, os ensaios já começaram. Há alguns meses que Giróquestra apresenta a crianças de etnia cigana instrumentos utilizados na música erudita e clássica.

"Queremos que eles sintam vontade de tocar estes novos instrumentos. Alguns mostram capacidade de tocar qualquer um deles. São muito 'desenrascados'", garantiu o diretor da Escola de Música do Orfeão de Leiria, Mário Teixeira.

O projeto terá três anos de duração, é desenvolvido em parceria com a associação InPulsar no Bairro da Cova das Faias e visa a criação de uma pequena orquestra.

Na semana passada, começaram os ensaios de Dançarte, que envolve oito jovens, dos 12 aos 14 anos, do Lar Santa Isabel.

"Através de aulas de dança contemporânea e oficina coreográfica, queremos que se sintam bem com elas próprias e, mais tarde, que trabalhem com alunas do ensino articulado", explica a diretora da Escola de Dança do Orfeão de Leiria, Ana Vale.

Após o primeiro ensaio, o entusiasmo foi visível, frisou a diretora do lar, Conceição de Sousa: "A dança é muito importante, porque é uma das coisas que gostam muito de fazer. Depois do primeiro dia, vinham encantadas, queriam que fosse todos os dias", disse a responsável do Lar Santa Isabel, na apresentação do projeto.

Em parceria com a Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo de Leiria, o Orfeão de Leiria desenvolverá "Artes e Autismo", que, segundo Acácio de Sousa, visa "estimular as aptidões" e "encontrar caminhos" para que os utentes da associação "extravasem a sua sensibilidade através da música". O resultado subirá ao palco numa gala a realizar dia 24 de novembro no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria.

Já em "Abraç'Artes", projeto para três anos, que conta com o apoio do Alto Comissariado para as Migrações, o Orfeão propõe-se recolher junto dos seus alunos estrangeiros, e também dos seus pais e amigos, composições dos cancioneiros dos seus países de origem, integrando-os nos currículos do conservatório de Leiria.

"Há já contactos muito entusiasmantes", diz o diretor do Orfeão, que tem matriculados alunos da Ucrânia, Rússia, Chile, Bielorrússia, Egito, Azerbaijão, Brasil, entre outros países.

Do programa "Incluir com Arte", Acácio de Sousa espera que surja "o enriquecimento cultural" do Orfeão de Leiria e da cidade.

"Através da música e da dança, teremos uma sociedade mais rica e mais justa", referiu.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon