Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Os cinco culpados da eliminação do Manchester City

Logótipo de O Jogo O Jogo 16/03/2017 Ana Proença
© EPA/GUILLAUME HORCAJUELO

Na hora da derrota, não falta quem aponte culpados. E no caso da eliminação do Manchester City, esta quarta-feira aos pés do Mónaco, já há cinco responsáveis bem identificados.

Entre imprensa britânica, espanhola e os relatos do que foi a palestra do Manchester City após o jogo com o Mónaco, saltam cinco culpados do desaire: Aguero, Stones, Bravo, Beguiristain e o planeamento tático, ou seja, Guardiola.

Aguero esteve desaparecido diante do Mónaco e não foi o líder que deveria ser. Stones não está a ter um rendimento correspondente aos 55 milhões de euros que custou no verão.

Bravo, aponta a imprensa inglesa, não saiu do banco de suplentes frente aos monegascos - foi Willy Caballero o titular -, mas também tem culpas no cartório, ainda que indiretas: deixou o Barcelona para ser o titular da baliza do City, mas não está a cumprir.

Finalmente, Txiki Beguiristain, diretor desportivo do City, foi uma das razões porque Guardiola se mudou para o clube inglês. Ambos construíram um projeto novo e avultado gasto financeiro em reforços parece não estar a ter o retorno esperado.

Mais de 100 milhões por Nolito, Sané, Gundogan, Stones, Bravo e Gabriel Jesús e o City está de fora da Champions e a 10 pontos do Chelsea na Premier League.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon