Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Osorio confiante para o futuro: "Um dia, o México vai ganhar"

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/07/2017 Alcides Freire

Antes do encontro com Portugal, no jogo de atribuição do terceiro lugar da Taça das Confederações, o selecionador da "tri" desvalorizou a ausência de Ronaldo e vaticinou um futuro vencedor para os mexicanos.

O selecionador do México, Juan Carlos Osorio, desvalorizou este sábado a ausência de Cristiano Ronaldo na equipa de Portugal e assumiu o desejo de terminar a Taça das Confederações com um triunfo sobre os campeões europeus.

"Este jogo não é importante, é muito importante. É uma forma de mostrar o progresso da nossa equipa. Chegar ao terceiro lugar após ganhar ao campeão da Europa seria muito bom. Queremos mostrar que podemos competir e ganhar às melhores seleções", afirmou Juan Carlos Osorio.

O técnico colombiano falava aos jornalistas na Arena Otkrytie, em Moscovo, na conferência de imprensa de antevisão do encontro de domingo com Portugal, de atribuição dos terceiro e quarto lugares da Taça das Confederações.

"Mesmo sem Cristiano Ronaldo, a seleção portuguesa tem uma grande equipa. Tem avançados de elite, como Quaresma e Nani. São todos grandes jogadores. Claro que, quando Ronaldo joga, Portugal fica mais forte, mas, sem Ronaldo, vai ser igualmente muito difícil para nós", considerou.

© REUTERS/Kai Pfaffenbach

Além do terceiro lugar da competição, Osorio explicou que são os jogos contra equipas como Portugal que fazem o México crescer e poder alcançar um nível que, no futuro, coloque os aztecas como possíveis vencedores de grandes competições, como um campeonato do Mundo.

"Um dia, o México vai ganhar, como aconteceu no passado com Espanha, e agora com o Chile e Portugal. Vamos ter a oportunidade de jogar de novo com os campeões europeus. Não temos muitas oportunidades de ter jogos deste tipo e o México precisa disto. Precisa de jogar contra os melhores do mundo", disse o treinador, de 56 anos.

Na mesma conferência de imprensa, o veterano Rafa Marquéz afirmou que, no duelo com a seleção lusa, os jogadores mexicanos querem provar que têm qualidade suficiente para vencer "as melhores equipas do mundo", ainda mais depois do pesado desaire perante a Alemanha (4-1), nas meias-finais.

"Vamos dar tudo em campo. Sabemos que vai ser um jogo complicado, mas sabemos também que temos capacidade para defrontar Portugal e vencer o campeão europeu", referiu o defesa-central.

Com 38 anos e 143 jogos pelo México, Marquéz confessou que tem o desejo de continuar a jogar futebol ao mais alto nível e tudo fará para "pendurar as botas" o mais tarde possível.

"Não é fácil. É preciso muito trabalho e muito sacrifício. Mas sinto-me um afortunado por ainda poder jogar futebol e poder representar o meu país. Enquanto o corpo deixar, cá estarei", disse o antigo central do Barcelona.

O Portugal-México está agendado para as 15h00 (13h00 em Portugal continental) e terá arbitragem de Fahad Al Mirdasi, da Arábia Saudita.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon