Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Papa lamenta situação das crianças rohingyas refugiadas no Bangladesh

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/10/2017 Administrator

O papa Francisco, que visita a Birmânia (Myanmar) no final de novembro, lamentou hoje a situação de abandono em que se encontram cerca de 200 mil crianças rohingyas refugiadas nos campos no Bangladesh.

Há "800 mil refugiados" desta minoria muçulmana nos campos, incluindo "200 mil crianças", disse o papa durante a missa que celebra todas as manhãs na residência de Santa Marta.

"Eles têm pouco para comer, estão subnutridos e estão sem cuidados médicos. Isto está a acontecer hoje", lamentou o pontífice na sua homilia, criticando essencialmente "os homens obcecados pelo dinheiro e incapazes de serem tocados pelo destino destas crianças famintas".

Trata-se de uma "idolatria que mata", que faz "sacrifícios humanos", disse Francisco na homilia, que teve trechos divulgados pela Radio do Vaticano.

O papa referiu que estas crianças estão "com fome, sem cuidados médicos, sem educação e estão abandonadas".

Francisco deverá visitar a Birmânia entre 27 e 30 de novembro, uma visita sem precedentes a um país maioritariamente budista e onde está a ocorrer um conflito sangrento entre as autoridades birmanesas e a minoria rohingya, de quem o papa tomou a defesa.

O papa já mencionou, várias vezes, a sua tristeza pela perseguição desta minoria muçulmana, falando a milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro.

Mais de meio milhão de rohingyas fugiram para o Bangladesh desde o final de agosto, juntando-se a outros 300 mil que já se encontravam naquele país, após outras ondas de violência sem precedentes contra esta minoria na Birmânia.

Depois da Birmânia, o papa visitará o Bangladesh, entre 30 de novembro e 02 de dezembro. Não há visitas previamente agendadas aos campos de refugiados.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon