Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Paquistão poderá perder estatuto de aliado privilegiado dos EUA - Tillerson

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/08/2017 Administrator

O Paquistão poderá perder o seu estatuto de aliado privilegiado dos Estados Unidos se não mudar de atitude em relação aos talibãs afegãos, como exigiu o Presidente norte-americano, Donald Trump, declarou hoje o secretário de Estado, Rex Tillerson.

Inquirido pela imprensa sobre se Washington vai reduzir a ajuda, impor sanções ou retirar a Islamabad o estatuto de "grande aliado não-membro da NATO", o chefe da diplomacia norte-americana respondeu que tudo será equacionado.

"Todas essas coisas estão em cima da mesa se, na prática, eles se recusarem a mudar de atitude ou a alterar a sua política em relação a muitas organizações terroristas que encontram refúgio no Paquistão", assegurou.

Ao apresentar hoje a sua estratégia para o Afeganistão, onde decorre "a guerra mais longa da história norte-americana", Trump aumentou a pressão sobre o vizinho Paquistão, que acusou de ser "frequentemente um refúgio para os agentes do caos, da violência e do terror".

"[O Paquistão tem] muito a perder se continuar a abrigar criminosos e terroristas. Isso deve mudar e deve mudar imediatamente", frisou, na base de Fort Myer.

Dezoito horas após o discurso do Presidente norte-americano, o Paquistão declarou-se hoje desiludido com os Estados Unidos e reiterou que, ao contrário do que Trump afirmou, não permite que o seu território seja usado contra outros países.

"É dececionante que o comunicado da política dos Estados Unidos ignore os enormes sacrifícios que o Paquistão tem realizado", indicou o ministério dos Negócios Estrangeiros paquistanês, em comunicado.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon