Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Parlamento do Curdistão iraquiano adia eleições legislativas regionais

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/10/2017 Administrator

O parlamento regional do Curdistão iraquiano aprovou hoje o adiamento por oito meses das eleições legislativas, previstas para 01 de novembro, e deverá anunciar em breve a nova data das presidenciais, previstas para o mesmo dia.

O adiamento ocorre um mês depois da realização de um referendo sobre a independência da região autónoma que deu origem a uma grave crise política com o governo federal de Bagdad.

O Iraque enviou forças militares para desalojar os combatentes curdos ('peshmergas') de zonas disputadas que controlavam desde o recuo do exército iraquiano face ao avanço dos 'jihadistas' do grupo extremista Estado Islâmico.

"O parlamento do Curdistão decidiu adiar oito meses as eleições parlamentares na região autónoma", disse à imprensa Bahzad Zebari, deputado da União Islâmica do Curdistão.

Outro deputado, Farsat Sofi, do Partido Democrático do Curdistão (PDK), disse por seu lado que "o parlamento vai escolher a data das eleições", legislativas e presidenciais.

Enquanto isso, segundo Zebari, "o parlamento decidiu suspender as atividades da presidência do Curdistão".

A presidência da região é integrada pelo presidente curdo, Massoud Barzani, líder do PDK, pelo seu vice-presidente, Kosrat Rassoul, dirigente da União Patriótica do Curdistão (UPK), rival histórico do PDK, e pelo chefe de gabinete presidencial, Fouad Hussein.

Barzani, primeiro e único presidente eleito da região autónoma do norte do Iraque, terminou o seu mandato em 2013. O parlamento regional prolongou-lhe o mandato por dois anos, mas, a partir de 2014, Barzani manteve-se no cargo devido à entrada em cena do Estado Islâmico e à necessidade de o combater.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon