Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Paulo Gonçalves sobe para quarto da geral no Rali do Qatar

Logótipo de LusaLusa 22/04/2014 Lusa
FELIPE TRUEBA/EFE © 2014 FELIPE TRUEBA/EFE

Numa etapa com aproximadamente 484 quilómetros, entre Al Karaana e Umm Sa’id, o atual detentor do título mundial de todo-o-terreno conseguiu subir para quarto na geral, ficando a 2.29 minutos do novo líder da prova, o espanhol Marc Coma (KTM).

“Hoje foi um dia muito duro. Foi uma etapa de difícil navegação. Eu tinha planeado recuperar o tempo perdido no dia de ontem [segunda-feira]”, comentou o piloto português, afirmando ainda que continua a tentar atingir os objetivos traçados para a prova.

O colega de equipa e também português Hélder Rodrigues foi quarto na etapa, a 8.30 minutos do primeiro lugar, descendo um lugar na geral, sendo agora sexto, a 8.22 do líder.

“Acabei em quarto e agora estamos a começar a ver os resultados de um exigente trabalho. Continuamos a lutar por uma vitória da Honda no rali para que a equipa continue à frente da competição”, disse Hélder Rodrigues.

O colega dos dois pilotos portugueses da HRC, o espanhol Joan Barreda, perdeu o primeiro lugar ao ser sexto na etapa, com mais de 12 minutos para o primeiro.

Marc Coma lidera agora a prova com 56 segundos de vantagem para Barredas.

Depois de ter sentido problemas com o travão traseiro da sua KTM Rally 500 na primeira etapa, hoje Ruben Faria voltou a sentir dificuldades com o travão traseiro, mas, de acordo com a sua assessoriqa de imprensa, foi um erro de navegação que o colocou fora da luta pela primeira posição no dia e na própria prova, pois falhou alguns pontos de passagem obrigatórios e sofrerá uma penalização.

"Falhei uma rota e perdi-me ainda numa fase inicial da corrida. Com esse erro, falhei ‘waypoints’ e fiquei sujeito a uma forte penalização. Ainda regressei à pista para continuar a especial, mas, mais tarde, com o travão traseiro novamente a acusar alguns problemas optei por seguir até ao final da especial pela estrada. Não fazia sentido continuar daquela forma", disse o piloto, citado pela sua assessoria.

Longe dos primeiros lugares e sem qualquer possibilidade de lutar por um posto cimeiro, resta a Rúben Faria lutar por vitórias em etapas.

"Amanhã (quarta-feira), vou ser o último dos pilotos prioritários a partir e vou tentar tirar o maior proveito disso para discutir a vitória na especial. A corrida está perdida, mas temos ainda muitos quilómetros pela frente, quero andar rápido e lutar pela vitória na especial ,ao mesmo tempo que continuaremos o nosso trabalho de desenvolvimento da moto. Hoje foi um dia para esquecer", disse.

Na quarta-feira, disputa-se a terceira etapa do Rali do Qatar, com um total 416 quilómetros.

JPZR/VR // VR

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon