Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

PCP culpa EUA por "criminosa escalada de confrontação" e pede fim de armas nucleares

Logótipo de O Jogo O Jogo 03/09/2017 Administrator

O secretário-geral do PCP acusou hoje o imperialismo dos EUA de ser "responsável por uma criminosa escalada de confrontação" que pode levar a humanidade à catástrofe, apelando à urgência de fortalecer a paz e abolir as armas nucleares.

No discurso de encerramento da 41.ª Festa do Avante!, que hoje termina no Seixal, distrito de Setúbal, Jerónimo de Sousa não esqueceu as questões internacionais porque o "mundo vive tempos conturbados e perigosos".

"O imperialismo, nomeadamente o imperialismo norte-americano, é responsável por uma criminosa escalada de confrontação que, a não ser travada, conduzirá a Humanidade à catástrofe", alertou.

Na opinião do secretário-geral do PCP, "nunca terá sido tão importante, como o é hoje, ampliar e fortalecer a luta pela paz e pelo desarmamento - a começar pela não proliferação e abolição das armas nucleares".

O líder comunista quer ainda uma batalha "pelo cumprimento dos princípios da Carta das Nações Unidas e do direito internacional, pelo respeito do direito à auto-determinação e da soberania dos povos".

"Por todos os continentes, o imperialismo, nomeadamente o imperialismo norte-americano, aumenta as suas ameaças e ação agressivas contra todo e qualquer país e povo que resista perante os seus intentos de domínio político e económico e ouse afirmar e defender a sua independência e soberania, o seu direito ao desenvolvimento", referiu.

Os Estados Unidos, a NATO, as grandes potências da União Europeia e os seus aliados são, de acordo com Jerónimo de Sousa, os "responsáveis por uma colossal corrida aos armamentos, incluindo o aperfeiçoamento de armas nucleares e a instalação de sistemas anti-míssil à escala global".

"São responsáveis pela militarização das relações internacionais, o uso da chantagem nuclear, a criação de sucessivos e constantes focos de tensão, o desrespeito da legalidade internacional", acusou ainda.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon