Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

PCP propõe programa de emergência para os transportes públicos

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/07/2017 Administrator

O PCP propôs hoje um programa de emergência, com fundos públicos, para o investimento nos transportes públicos, que passa pela "revisão global" das concessões, privatizações e parcerias público privadas. "Os governos não podem apenas reagir quando acontece uma tragédia", afirmou Vasco Cardoso, membro da Comissão Política do PCP, em conferência de imprensa, na sede nacional do partido, em Lisboa. Os "recentes acontecimentos", como os incêndios ...

O PCP propôs hoje um programa de emergência, com fundos públicos, para o investimento nos transportes públicos, que passa pela "revisão global" das concessões, privatizações e parcerias público privadas.

"Os governos não podem apenas reagir quando acontece uma tragédia", afirmou Vasco Cardoso, membro da Comissão Política do PCP, em conferência de imprensa, na sede nacional do partido, em Lisboa.

Os "recentes acontecimentos", como os incêndios florestais, "provam que o povo português está a pagar bem cara a política de abandono e degradação dos serviços públicos, das empresas públicas e das funções do Estado", justificou.

O programa de emergência anunciado pelo PCP visa garantir "condições de funcionamento eficaz e um sistema de transportes públicos nacional, um passe social intermodal alargado e acessível nas áreas metropolitanas".

O PCP propõe, igualmente, que se garanta uma "redução de custos para os utentes, captando mais população" para os transportes públicos, de forma a fazer uma "revisão global dos tarifários", baixando o seu preço, e a repor direitos retirados a estudantes, crianças e menores, população idosa e alargar o passe intermodal a mais serviços e operadores.

Vasco Cardoso concretizou que o plano "requer uma urgente mobilização de recursos" ainda em 2017 para uma "intervenção no Metro de Lisboa, Carris, Transtejo, Soflusa, CP, STCP de modo a libertá-las do "sufoco financeiro em que se encontram".

O objetivo é conseguir a "contratação de centenas de trabalhadores que são necessários", repor "serviços degradados ou mesmo extintos", 'stocks' de peças, além de um saneamento financeiros das empresas, "repondo e cumprindo" as indemnizações compensatórias" e libertando-as progressivamente da "situação de dependência e submissão à banca".

Em cinco páginas, o PCP faz uma avaliação dos problemas e atual estado do setor dos transportes, empresa a empresa, de onde ressaltam o atraso na contratação de maquinistas no Metro de Lisboa, supressão de carreiras na Carris, a "ameaça para o futuro" da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) que pode ser o processo de municipalização.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon