Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Pedida investigação ao Ministério Público relacionada com caso do ex-procurador de Macau

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/08/2017 Administrator

Um cidadão de Macau entregou hoje um pedido ao Ministério Público para investigar Andrew Cheong por alegada "associação aos casos de corrupção" que envolvem o antigo procurador de Macau Ho Chio Meng.

A denúncia foi entregue por Caruso Fong, presidente da Associação dos Assuntos Jurídicos e Sociais, que, em declarações aos jornalistas, disse que esperou a leitura da sentença do processo conexo ao do antigo procurador, na terça-feira, para avançar com o pedido de investigação.

O Tribunal Judicial de Base (TJB, primeira instância) deu como provado mais de mil crimes envolvendo a adjudicação de contratos de aquisição de bens e serviços do Ministério Público a empresas de fachada, incluindo crimes cometidos de forma continuada, em associação criminosa com o antigo procurador Ho Chio Meng, já condenado em julho a 21 anos de prisão.

Caruso Fong questiona a legitimidade da relação contratual entre as empresas de Andrew Cheong e de Wong Kuok Wai que, na terça-feira, foi condenado a 14 anos de prisão pelo TJB.

Em causa estarão contratos sobre a manutenção de detetores de metais subadjudicados a uma empresa de Andrew Cheong -- a Artigos Eletrónicos Proton -- para a prestação de serviços no Ministério Público durante oito anos.

Caruso Fong colocou em causa a forma como a empresa de pequena dimensão de Andrew Cheong conseguia obter do MP contratos de milhões de patacas e disse que o empresário prestou falsas declarações quando foi ouvido no processo conexo ao do ex-procurador.

Ho Chio Meng, que liderou o Ministério Público entre 1999 e 2014, foi condenado a 21 anos de prisão por mais de mil crimes, incluindo promoção ou fundação de associação criminosa, participação económica em negócio, branqueamento de capitais agravado, burla e peculato.

Caruso Fong e Andrew Cheong são ambos membros da Associação Novo Macau -- a maior formação pró-democracia do território. Andrew Cheong integra o conselho fiscal na atual direção e no período em que Ho Chio Meng foi procurador chegou a ser vice-presidente da associação.

Além da denúncia relacionada com o caso do ex-procurador, Caruso Fong acusou a Novo Macau de não dar esclarecimentos sobre alegados financiamentos de Andrew Cheong à associação.

"Temos provas que indiciam que o dinheiro que ele ganhou através do contrato de prestação de serviços acabou por ser transferido em benefícios impróprios aos membros da direção da Associação Novo Macau, incluindo contratação de um membro para desempenhar cargos na empresa dele", disse Caruso Fong, citado pelo canal em português da TDM.

"Pagou-lhe viagens de ida e volta para Taiwan, incluindo despesas de alojamento e alimentação, e também para comprar equipamentos de filmagem", acrescentou, estimando o montante em "100 mil patacas (10,6 mil euros)".

Fonte da associação disse à Lusa que as declarações de Caruso Fong eram "disparates", e afirmou que a Novo Macau vai dar uma resposta oficial sobre o caso na sexta-feira.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon