Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Pedro Emanuel faz um pedido antes da visita a Braga

Logótipo de O Jogo O Jogo 30/09/2017 Hugo M. Monteiro

O treinador do Estoril defendeu o trabalho da sua equipa, apesar das cinco derrotas consecutivas, e pediu maior eficácia para conseguir vencer o Braga, no domingo, na oitava jornada da I Liga.

Na conferência de imprensa realizada esta tarde no Estádio António Coimbra da Mota, Pedro Emanuel refutou a existência de "jogos ideais" para contornar a crise de resultados do seu conjunto e destacou o valor do adversário, colocando-o ao nível dos três grandes do futebol português.

"Não há volta a dar. Este é o próximo jogo e não há jogos ideais, há resultados para lutar. O Braga está moralizado, vem numa sequência interessante de jogos a ganhar. Temos sido demasiadamente penalizados, mas o futebol é isto mesmo. Os golos têm faltado e temos de tentar sofrer o menos possível", afirmou.

O elogio à "grande capacidade, grande dinâmica e grande disponibilidade" do Braga foi uma constante no discurso de Pedro Emanuel, que descartou qualquer possibilidade de desgaste físico dos arsenalistas, face ao desafio disputado na quinta-feira para a Liga Europa (triunfo por 2-1 sobre o Istambul Basaksehir).

"Não acredito [em desgaste físico]. O Braga tem um plantel bastante equilibrado e as escolhas do Abel [Ferreira] têm revelado que tem jogadores para todas as posições. Não é assunto para uma equipa do nível do Braga. Não acho que seja por aí, até porque o Braga tem o alento de se colar à frente. Sabe que pode recuperar, o campeonato está muito equilibrado", vincou.

O técnico do Estoril garantiu ainda que os seus jogadores realizaram uma "excelente semana de trabalho", apesar da pressão dos resultados negativos, e saiu em defesa das ideias da equipa. Com efeito, Pedro Emanuel excluiu o cenário de adotar uma postura "cínica" em prol de uma suposta via rápida para os resultados positivos que têm faltado nas últimas partidas.

"Sou defensor de um futebol com capacidade para chegar à área adversária e fazer a diferença, temos um processo alicerçado nesse sentido. Ou olhamos para a possibilidade de não sofrer ou agarramo-nos a um todo. É um risco que temos de ter. Se vamos atrás do pragmatismo perdemos um pouco a beleza do futebol. Podem chamar-me lírico", frisou.

© JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Paralelamente, o treinador dos canarinhos admitiu que a juventude e a inexperiência da sua equipa contribuíram também para os erros que desequilibraram em seu prejuízo alguns dos últimos encontros.

"Temos uma equipa jovem, não só nas idades, mas na experiência e isso viu-se também no jogo com o Chaves. É outra das justificações que podemos ter. Como disse o Abel, o Braga tem uma equipa jovem, mas nós temos uma equipa ainda mais jovem. É a nossa realidade", concluiu.

O Estoril, 16.º classificado com seis pontos, visita este domingo, às 17h15, o Braga, quinto com 12, num jogo que vai ter lugar no Estádio Municipal de Braga e que vai ser arbitrado por Hélder Malheiro, da associação de Lisboa.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon